Marcio Fernandes
Marcio Fernandes

Quando a academia ganha as praias

Crossfit nas areias é uma das tendências para este verão, sobretudo na região do Guarujá; entre as vantagens está o maior gasto de energia

Edison Veiga, O Estado de S. Paulo

25 Dezembro 2016 | 00h00

GUARUJÁ - Modinha em academias paulistanas, o crossfit desceu a serra. Os exercícios continuam pesados e os professores, com fama de carrascos. A paisagem, entretanto... “Na beira da praia, o visual compensa o esforço”, diz o diretor sindical Cássio Rodrigues da Silva Barbosa, de 26 anos, que pratica o esporte há dois meses no Guarujá.

Professor de crossfit há quatro anos, Vinicius Gasques costuma levar seus alunos para praticar na areia – no caso, a Praia de Pitangueiras, a duas quadras da academia – pelo menos uma vez por mês. Sua academia produziu um vídeo, mostrando um treino. Com mais de 32 mil visualizações até dia 16, virou hit nas redes sociais de adeptos do crossfit – para assistir, basta acessar a página da empresa: www.facebook.com/pg/crossfitcpk.

“É importante tirar o praticante do meio onde ele já está adaptado. Na praia, ele encontra um terreno ao qual não está acostumado. Certamente, gasta mais energia”, diz ele. Ou seja, a expectativa do exercício, de queimar até 800 calorias em meia hora dentro da academia, aumenta. “Na areia, a resistência é três vezes maior do que no piso normal. Se por um lado a prática é mais difícil, por outro o ambiente é mais agradável”, diz o professor Vagner Riesco, que troca a academia fechada pela Praia da Enseada, em Bertioga, duas vezes por semana. 

A ideia agrada aos turistas fitness: gente que pratica o crossfit ao longo do ano em sua cidade e não quer interromper os treinos durante as férias no litoral – as academias consultadas pelo Estado afirmaram que estão registrando um aumento de 15% a 30% no número de alunos neste mês de dezembro. A estudante de Medicina Mariana Tonello Paro, de 22 anos, faz crossfit há mais de dois anos – em São Paulo, onde mora; e no Guarujá, nos fins de semana e durante as férias. “Gosto quando praticamos na areia porque aumenta a dificuldade. E algumas vezes incluímos até natação no exercício”, conta. 

“É assim mesmo. Quem treina crossfit é ‘viciado’ e não quer parar nem nas férias, nem quando está viajando. Muitos entram em contato antes de viajar, para já deixar agendadas aulas avulsas”, diz o professor Ken Minani, que tem uma academia em Caraguatatuba e também costuma mesclar exercícios indoor e outdoor. “Não só na praia, também treinamos no morro algumas vezes. É bom variar, criar novas dificuldades e, claro, melhorar o ambiente.”

Para a educadora física Cristina Teixeira Santos, de 45 anos, tudo era novidade na beira da praia. “É um esporte diferente. Eu, que sempre fui praticante do atletismo, estou gostando muito. Tem a minha cara.”

Método.  O crossfit é um método de treinamento de força e condicionamento físico, com base em movimentos funcionais feitos em alta intensidade e constantemente variados. Normalmente, mescla três modalidades: levantamento de peso, ginástica e condicionamento metabólico. Os praticantes utilizam barras, anilhas olímpicas, pesos de diversos tipos, cordas, caixas, bolas, pneus, argolas, entre outros equipamentos. Nem todos, é claro, podem ser levados à praia. “Se há uma limitação de equipamentos, por outro lado há a possibilidade de trabalhar com outros fatores, como a areia e até a água”, compara Gasques.

SERVIÇO:

CROSSFIT CPK (GUARUJÁ).  TELEFONE: (13) 3355-2208. PACOTES DE R$ 150 A R$ 300 POR MÊS;  CENTRO VAGNER RIESCO (BERTIOGA). TELEFONE: (13) 3317-9798. PACOTES DE R$ 230 A R$ 280 POR MÊS;  CROSSFIT CARAGUÁ (CARAGUATATUBA).  TELEFONE: (12) 99636-2392. PACOTES DE R$ 110 A R$ 283 POR MÊS. 

 

Mais conteúdo sobre:
GUARUJÁSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.