Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Quantidade de lixo espacial orbitando a Terra alcança 'ponto crítico'

Informativo publicado por cientistas norte-americanos alerta a Nasa sobre o limite máximo de segurança

Estadão.com.br e Agências,

02 de setembro de 2011 | 17h11

A quantidade de lixo espacial orbitando a Terra alcançou um 'ponto crítico', gerando ameaças cada vez maiores para satélites e astronautas, afirmaram cientistas norte-americanos em um informativo publicado nesta semana. O objetivo é alertar a Nasa sobre o limite máximo de segurança.

Segundo a agência espacial americana, já foram contabilizados 22 mil objetos no espaço, entre escombros e sucata, mas estima-se que existam milhões de tamanho menor que não foram registrados. Eles podem causar inúmeros estragos se atingirem uma espaçonave em alta velocidade. Sem contar que a colisão poderia gerar ainda mais detritos. 

O texto divulgado pelos cientistas solicita novas regulamentações internacionais e mais pesquisas sobre o possível uso de grandes redes metálicas ou "guarda-chuvas" gigantes no espaço, para pegar o lixo. Uma outra ideia seria tentar destruir o lixo usando laser, mas esse trabalho é caro e complicado, já que a lei internacional proíbe os Estados Unidos de recolher objetos que pertencem a outras nações.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.