Divulgação
Divulgação

Quarto em número de casos de covid-19, Pernambuco já atua no limite da capacidade

Estado tem 327 leitos de UTI para o combate ao coronavírus; ocupação supera os 97%

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2020 | 16h50

RIO - A rede estadual de saúde de Pernambuco está praticamente no limite da capacidade para atender os casos do novo coronavírus. O estado tem 327 leitos de UTI destinados ao combate à covid-19, sendo que a taxa de ocupação supera os 97%. Com 352 mortes, Pernambuco apresenta alto índice de letalidade pela doença: 8,8% em relação aos 3.999 casos confirmados.

"Mesmo com os investimentos que estamos fazendo em novos leitos e na contratação de profissionais de saúde, o nosso sistema terá um limite diante do quadro de pandemia", admitiu o governador Paulo Câmara (PSB). "Ficar em casa é o combate mais seguro."

Ao todo, a rede estadual de saúde de Pernambuco reservou 673 leitos para o tratamento da covid-19, mas o sistema já dá sinais de saturação. Isso porque o estado vem apresentando crescimento rápido no número de mortes nos últimos dias - foram 40 entre quinta e sexta-feira, e 30 nas 24 horas anteriores.

Dos 184 municípios pernambucanos, 183 deles decretaram estado de calamidade pública em função no novo coronavírus - a exceção é Catende, na Zona da Mata. Há casos confirmados de covid-19 em 143 cidades do estado.

Para tentar conter o avanço da doença - Pernambuco ocupa a quarta colocação entre os estados do País com mais casos, e o terceiro no número de mortes - o governo estadual emitiu decreto tornando obrigatório o uso de máscaras para quem trabalha nos estabelecimentos autorizados a continuar em funcionamento. A obrigatoriedade passa a valer na próxima segunda-feira.

RECIFE

Dos 3.999 casos confirmados da doença, mais da metade se concentram na capital, Recife. A cidade vem ampliando a oferta de leitos destinados a pacientes com covid-19 por meio da construção de hospitais de campanha - seis foram abertos desde o início da pandemia e, segundo a prefeitura, representam um acréscimo de 947 leitos.

Uma das dificuldades encontradas, contudo, é a mesma que se apresenta por todo o País. "O respirador é um componente muito importante do leito de UTI, e existe também a necessidade de formação das equipes de trabalho", considerou o secretário municipal de Saúde de Recife, Jailson Correia.

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE O CORONAVÍRUS

Por que o surto de coronavírus começou na China?

Não tenho carteira de trabalho e quero receber o auxílio emergencial. O que eu faço?

Qual é o efeito do coronavírus no corpo?

Coronavírus: quais os riscos para gestantes, lactantes e recém-nascidos?

Como diferenciar coronavírus e alergias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.