Quatro em cada dez domicílios no Brasil são inadequados

Apesar disso, acesso a rede de esgoto, abastecimento de água e coleta de lixo melhorou na última década

Gabriela Moreira e Felipe Werneck, Estado de S. Paulo

01 Setembro 2010 | 11h00

RIO DE JANEIRO - Em 2008, quatro em cada dez domicílios brasileiros eram inadequados, ou seja, não possuem algum dos indicadores considerados essenciais para a moradia. É o que revelou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua pesquisa "Indicadores de Desenvolvimento Sustentável", referente ao ano de 2010.

 

Veja também:

link IBGE revela que cobertura original do Cerrado foi reduzida pela metade 

link Área total desmatada da Amazônia já chega a 15%, diz IBGE

link Concentração de ozônio cresce em áreas urbanas

link Território para pastagens dobrou nas últimas décadas, mostra IBGE

 

Entre as condições consideradas essenciais pelo IBGE, estão densidade de até duas pessoas por dormitórios; acesso à rede de esgoto, ou possibilidade de fossa asséptica; acesso à rede geral de abastecimento de água; e coleta de lixo. Em 2008, eram 25 milhões de domicílios nesta situação.

 

No entanto, o IBGE informou que, em termos porcentuais, 57% dos domicílios brasileiros poderiam ser considerados adequados para moradia. Na comparação com o cenário mostrado em 1992, houve um avanço: naquele ano, apenas 36,8% dos domicílios eram considerados adequados.

Mais conteúdo sobre:
IBGE moradia melhoria saneamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.