Quedas são motivo de atenção para pais durante as férias

50% dos ferimentos em crianças nesse período são provocados assim; 69% deles acontece em casa

O Estado de S. Paulo,

08 de janeiro de 2009 | 20h35

Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde em 37 cidades brasileiras dá razões de sobra para que pais redobrem cuidados neste período de férias escolares. O trabalho mostra que mais de 50% das crianças de zero a nove anos que chegam a unidades de urgência e emergência no Sistema Único de Saúde apresentam ferimentos provocados por quedas. E a maioria desses acidentes (69%) acontece em casa.  Para fazer o levantamento, foram analisados 10.988 atendimentos registrados em 84 unidades de saúde, entre setembro e outubro de 2007. De todas as quedas registradas, 47% ( 2.626 ) foram provocadas por tropeções, pisadas em falso ou desequilíbrio.  De acordo com a pediatra e coordenadora do Departamento de análise de Situação de Saúde do Ministério da Saúde, Deborah Malta, quanto menor a idade da criança, maior o risco de ela sofrer ferimentos mais graves. Isso acontece, explica, porque a estrutura óssea ainda está em processo de formação. Uma queda de berço, conta, pode levar até a um traumatismo craniano.  Nos atendimentos analisados, a maior parte das vítimas (44%) apresentava ferimentos na cabeça. Em segundo lugar, vieram crianças com ferimentos no braços (31%), pernas (13,7%). Para evitar os acidentes, a principal receita, afirma a coordenadora, é a vigilância constante dos adultos. Outras medidas simples, afirma, ajudam muito a reduzir os riscos: casa organizada, sem produtos espalhados pelo chão ou tapetes soltos. Nas janelas, proteção é indispensável: seja com grades, seja com redes próprias.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdecrianças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.