Wilson Dias/Agencia Brasil - 16/09/2021
Wilson Dias/Agencia Brasil - 16/09/2021

Queiroga confirma novo ataque hacker ao site do Ministério da Saúde

GSI também se pronunciou e diz que serviços de armazenamento em nuvem cooperam com o governo para resolver problema

Lauriberto Pompeu, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2021 | 21h57

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou que o site da pasta sofreu um novo ataque hacker entre o domingo, 12, e esta segunda-feira, 13. "Houve esse outro ataque. Infelizmente somos vítimas dessas figuras que têm, de maneira criminosa, invadido sistemas", declarou o ministro. "Tentado invadir. Eles não conseguem invadir, mas tumultuam, atrapalham", completou. 

Inicialmente, o ministério havia negado o acontecimento. "São duas coisas diferentes. Aquele primeiro ataque não foi um ataque ao Ministério da Saúde, aquilo foi a nível da Embratel. E felizmente, os dados não foram comprometidos", disse Queiroga.

A primeira invasão aconteceu na sexta-feira, 10, e tirou do ar informações sobre a vacinação contra a covid-19 de usuários que acessam a plataforma Conecte SUS. A Polícia Federal abriu um inquérito para apurar o caso.

Com os sistemas vulneráveis, o governo federal resolveu adiar em uma semana as restrições para viajantes que chegam de outros países. Originalmente, as medidas começariam a ser aplicadas no último sábado, 11, com a exigência do comprovante de vacinação ou, em caso de não imunizados, o cumprimento de uma quarentena de cinco dias.

Queiroga minimizou o fato e disse que a pasta trabalha para reverter a situação. "Em relação a esse (novo ataque), foi algo de menor monta e estamos trabalhando para recuperar isso o mais rápido possível", afirmou.

Em nota, a Embratel afirmou que não é responsável pela gestão operacional do ambiente tecnológico do Ministério da Saúde. "Estamos apoiando o Ministério no tratamento do incidente e a ocorrência está sendo analisada por nossa equipe, que segue também apoiando as autoridades nas investigações e prestando todo o suporte técnico necessário."

O Ministério do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) também se pronunciou sobre o caso na noite desta segunda. "No dia 10 de dezembro do corrente ano ocorreram ataques cibernéticos contra órgãos do governo em ambiente de nuvem. Os provedores dos serviços de nuvem estão cooperando com a administração pública federal no tratamento do incidente", informou a pasta comandada por Augusto Heleno, por meio de nota.

Além do Conecte SUS, o ataque também atingiu os sistemas de notificação de casos do novo coronavírus e do Programa Nacional de Imunização.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.