Wilson Dias/Agência
Wilson Dias/Agência

Queiroga exalta vacinação e foge de pergunta sobre uso de máscara

Ministro foi ao Rio para comemoração de 10 anos do programa Melhor em Casa

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2021 | 18h48

RIO - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comemorou nesta segunda-feira, 8, a melhora da pandemia no País na esteira do avanço da vacinação. O Estado de São Paulo, por exemplo, não registrou nesta segunda-feira qualquer óbito por covid-19. É a primeira vez que isso ocorre desde o início da pandemia - no ano passado em algumas datas nos meses de novembro e dezembro os registros também estiveram sem óbito, mas por causa de problemas no sistema.

Ao sair de um evento no Rio, Queiroga disse que estava atrasado e não respondeu a uma pergunta sobre uma eventual medida nacional que desobrigue o uso de máscaras, como algumas cidades e Estados estão adotando. "A vacina contra a covid é a esperança de dar fim ao caráter pandêmico dessa doença. Os resultados já estão aí. Ontem, no Estado do Rio de Janeiro, não teve um óbito sequer”, disse.

Queiroga esteve no Rio nesta tarde para visitar o Instituto Fernandes Figueira, ligado à Fiocruz. O evento comemorava os dez anos do programa Melhor em Casa, do SUS, que oferece procedimentos caseiros a pacientes graves e crônicos e foi criado no início do governo Dilma Rousseff (PT).

Segundo a divulgação do ministério, mais de 500 mil brasileiros já foram atendidos pelo programa. Na cerimônia desta segunda-feira, o ministro habilitou 116 novas equipes para atuar no âmbito da iniciativa. Atualmente, o programa está em 732 municípios e tem cerca de 1,6 mil equipes. 

“Vamos continuar trabalhando para ampliar o acesso de brasileiros a políticas públicas que sejam efetivamente de interesse público  e capazes de mudar o desfecho na Saúde. Um grande desafio que agora está facilitado pela consciência geral da importância do Sistema Único de Saúde. Ninguém mais duvida da importância do SUS”, afirmou o ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.