Adriano Machado / Reuters
Adriano Machado / Reuters

Queiroga volta atrás e diz que dois casos de Deltacron estão em investigação, não identificados

Na manhã desta terça, 15, o Ministro da Saúde havia dito que casos haviam sido “identificados”; infecções são do Amapá e do Pará

Leon Ferrari, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2022 | 00h18

O Ministro da Saúde Marcelo Queiroga voltou atrás e disse, na noite desta terça-feira, 15, que os dois casos de Deltacron estão em investigação, não confirmados. Na manhã da terça, o ministro afirmou que dois casos do híbrido da Ômicron com a Delta haviam sido identificados. Um deles no Amapá, outro no Pará. Agora, ele informou que o sequenciamento deve ser finalizado em breve pela Fiocruz.

“De qualquer forma, não há motivos para preocupação”, escreveu, no Twitter. “A OMS classificou a Deltacron apenas como variante para monitoramento (Vum) e não a considerou como variante de interesse ou preocupação, como foi o caso da Ômicron e da Delta, por exemplo”.

De manhã, na chegada ao prédio do Ministério, Queiroga afirmou que o País já havia identificado dois casos do híbrido. "Nosso serviço de vigilância genômica já identificou dois casos no Brasil. Um no Amapá, outro no Pará. E nós monitoramos todos esses casos", disse. "Essa variante é de importância e requer monitoramento", acrescentou.

Ainda de manhã, destacou a vacinação como principal maneira de combater a Deltacron. "As autoridades sanitárias estão aqui, diante dessas situações, para tranquilizar a população brasileira. As medidas são as mesmas. Se eu tivesse que indicar uma medida, é a aplicação da dose de reforço, é importante. Se você não tomou, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima de onde você mora", incentivou.

Em uma atualização de 10 de março, um banco de dados internacional de sequências virais relatou 33 amostras da nova variante na França, oito na Dinamarca, uma na Alemanha e uma na Holanda. Conforme relatado pela Reuters, a empresa de sequenciamento genético Helix encontrou dois casos nos Estados Unidos.

A Deltacron combina a proteína spike da variante Ômicron com o "corpo" da Delta. Em uma atualização de 10 de março, um banco de dados internacional de sequências virais relatou 33 amostras da nova variante na França, oito na Dinamarca, uma na Alemanha e uma na Holanda. Conforme relatado pela Reuters, a empresa de sequenciamento genético Helix encontrou dois casos nos Estados Unidos./COLABOROU EDUARDO GAYER

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.