Raios ultravioleta matam 60 mil ao ano, diz OMS

A agência de saúde das Nações Unidas divulgou hoje que mais de 60 mil mortes por ano, em todo o mundo, são causadas pelo excesso de exposição ao sol. Estima-se que mais de 90% da carga global de doenças como melanoma e outros cânceres de pele seja causada pela exposição à radiação UV, de acordo com um novo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS). O relatório identificou nove efeitos adversos à saúde do excesso de exposição ao raios UV. "Essa análise global dos riscos à saúde da radiação ultravioleta fornece um boa base para uma ação da saúde pública. Todos nós precisamos de um pouco de sol, mas muito pode ser perigoso - e até mesmo letal", disse Maria Neira, diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da sede da OMS, em Genebra. Apesar de a radiação UV ter efeitos benéficos - basicamente, a produção de vitamina D quando há exposição da pele aos raios mais curtos, ou UVB - a radiação UV em excesso pode levar a uma variedade de problemas de saúde, incluindo câncer de pele e catarata. Das 60 mil mortes anuais em decorrência da exposição excessiva ao sol, cerca de 48 mil são causadas por melanomas malignos e 12 mil por carcinomas de pele, de acordo com o relatório. Os três principais efeitos adversos da superexposição aos raios UV são o melanoma maligno, um câncer severo que ainda traz consigo um risco significativo de morte, apesar das melhorias no tratamento; o carcinoma de célula escamosa da pele, outro tipo de câncer de pele maligno que geralmente progride menos rapidamente que o melanoma e é menos propenso a causar a morte; e o carcinoma de célula basal, que aparece predominantemente em pessoas mais velhas. Segundo o relatório, na maioria dos casos uma exposição casual mínima aos raios UV já seria suficiente para manter a vitamina D em níveis necessários para evitar doenças ósseas como a osteoporose, e muitas doenças e mortes relacionadas à radiação UV podem ser evitadas através de simples medidas preventivas. A OMS sugere que as pessoas limitem o tempo no sol do meio-dia, procurem sombra quando os raios solares estão mais intensos, usem roupas protetoras como chapéus e óculos de sol, usem filtro solar com fator de proteção 15 ou mais alto, evitem bronzeamento artificial e protejam as crianças do sol.

Agencia Estado,

25 de julho de 2006 | 18h10

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.