DANIEL GALBER/UAI FOTO
DANIEL GALBER/UAI FOTO

Rede privada de saúde distribui kits de medicamentos com cloroquina em Fortaleza

A entrega dos medicamentos é feita apenas para usuários do plano de saúde

Lôrrane Mendonça, Especial para o Estado

20 de maio de 2020 | 11h00

FORTALEZA - Mesmo sem eficácia comprovada cientificamente, uma unidade particular de saúde, em Fortaleza, começou a distribuir um coquetel de medicamentos que inclui a cloroquina e a ivermectina para o tratamento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Os kits com os remédios começaram a ser distribuídos pela Unimed Fortaleza nesta terça-feira, 19.

O protocolo criado é exclusivo para os clientes do plano de saúde e, para retirar a medicação, o paciente ou um representante autorizado por ele precisa apresentar receituário médico de controle especial, que é válido por 10 dias, termo de consentimento assinado pelo paciente, cartão da Unimed Fortaleza e um documento oficial com foto, todos do beneficiário. 

Caso o cliente já tenha sido internado no Hospital da Unimed e recebido a medicação durante o tratamento, não poderá receber um outro kit. No total, a unidade conta com 15 mil tratamentos de cloroquina e 15 mil de ivermectina. A rede esclarece ainda que “a distribuição dos medicamentos depende da prescrição médica. Se tiver prescrito apenas um dos medicamentos, o paciente recebe um”.

“A cloroquina e ivermectina estão em falta nas farmácias do Brasil, então criamos esse protocolo com todos os cuidados, orientando nosso médicos sobre como prescrever essas medicações. Além disso, temos a possibilidade de realizar eletrocardiogramas, caso o médico julgue necessário e também de acompanhamento por telemonitoramento para pacientes que assim necessitarem”, afirma o presidente da Unimed Fortaleza, Elias Leite.

A Unimed afirma que, atualmente, há 126 leitos de UTI exclusivos para tratamento da covid-19, com centro cirúrgico e salas de recuperação adaptados, cada um com 10 leitos para cuidados intensivos. O convênio médico ressalta ainda que o hospital de campanha está funcionando com capacidade máxima e que todos chega ao limite de atendimentos de pessoas com sintomas de síndromes gripais.

Os produtos podem ser retirados no Hospital Unimed ou nas Clínicas Unimed da capital cearense. As medicações serão entregues somente para adultos (maiores de 18 anos) e cada paciente terá direito a apenas 1 kit de medicamentos, que é pessoal e intransferível.

Distribuição na rede pública

Questionada pela reportagem se haverá distribuição de kits com medicamentos incluindo a cloroquina pela rede pública, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) não informa se adotará a medida. Em nota, a pasta afirma que "a prescrição deverá ser feita por decisão do médico com o paciente e com familiares, quando for o caso, com a devida explicação sobre efeitos colaterais, esclarecimento da ausência de evidências seguras e obrigatoriamente com obtenção de termo de consentimento informado e registro em prontuário".

Em comunicado, a Sesa reconhece que não existem evidências científicas disponíveis sobre a utilização das substâncias para combater a contaminação e disseminação da doença e alerta para que o uso da cloroquina deve ser sempre discutido com um médico, "pois não se trata de medicamento isento de efeitos colaterais". Além disso, a pasta afirma que "o tratamento domiciliar e a automedicação são, portanto, contraindicados".

Na segunda-feira, 18, o governador do Ceará, Camilo Santana, se manifestou a respeito do uso da cloroquina para o tratamento da covid-19. “O estado não utiliza cloroquina, ela está no protocolo, mas só é utilizada com recomendação do médico, que é quem decide se o paciente fará uso deste medicamento. Quero deixar muito claro que todas as decisões que o Estado tem tomado são pautadas nas questões técnicas e científicas, acho que a política deve estar fora de qualquer contexto neste momento de enfrentamento à pandemia”, afirmou.

Cloroquina em outros estados

A distribuição de medicamentos também foi adotada pela Unimed de Belém. Além da cloroquina e da ivermectina, o kit contém azitromicina. Na capital paraense, a entrega é feita em drive-thru, localizado na avenida Gentil Bittencourt, onde foi montado o posto de distribuição. Cerca de 400 beneficiários são atendidos todos os dias, desde o último dia 11 de maio, quando começou a entrega dos kits.

A ação, além de desafogar a procura nos hospitais do plano, que estão superlotados, tem como objetivo atender os pacientes com indicação médica para receber a cloroquina (450mg), a azitromicina (500mg) e a ivermectina (6mg), apresentando documentos, receita e receita médica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.