Relatório estuda posições para cadeiras de segurança de bebês

Segundo pesquisa, crianças colocadas no centro do banco traseiro correm 43% menos riscos de lesões

Reuters

12 de maio de 2008 | 15h28

Colocar os assentos de segurança infantis no centro do banco de trás dos carros pode cortar quase pela metade os riscos para crianças e bebês, sugere um novo estudo.  Em um trabalho que utilizou informações de acidentes de carro em 16 estados, pesquisadores encontraram que crianças até os três anos tinham 43% menos chances de se machucarem quando suas cadeiras foram presas no centro do banco de trás e não nos assentos laterais.  Especialistas já recomendavam que os pais colocassem os assentos especiais para crianças no centro e os achados recentes apenas reforçam a recomendação, de acordo com Michael J. Kallan e seus colegas na Universidade da Pensilvânia e no Hospital Infantil da Filadélfia.  Infelizmente, apenas 28% das crianças estavam sentadas na posição correta durante o acidente, diz o relatório divulgado pelo jornal Pediatrics.  No entanto, há obstáculos para colocar o assento infantil no centro do bantro traseiro dos carros, diz a equipe de Kallan. É fisicamente mais difícil colocar uma criança, especialmente uma que seja pesada, em uma cadeira posicionada no centro. Além do fato que essa posição para assentos especiais infantis também torna mais difícil para outras pessoas sentarem na parte de trás do carro.  Os resultados se baseiam em informações de 4.790 acidentes de carro envolvendo crianças de três anos ou menos que ocorreram entre 1998 e 2006. Na época do acidente, 41% das crianças estavam em um acento posicionado à direita no assento traseiro, enquanto 31% estavam à esquerda.  A posição do centro era a menos popular, mas a mais segura. A razão, em parte, deve-se ao fato das crianças ficarem mais protegidas nessa posição durante impactos laterais.  Pais interessados em mais informações sobre o uso seguro de cadeiras infantis para carros podem procurar o site do Hospital Infantil da Filadélfia (em inglês).

Tudo o que sabemos sobre:
Saúdecriançasautomóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.