Remédio será rastreado desde a produção

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou ontem regras para rastreamento de remédios no País. Em um prazo de três anos, o sistema, que permitirá acompanhar a trajetória do medicamento da produção até a venda, deverá estar em funcionamento. "No caso de medicamentos controlados, o sistema trará informações desde o produtor até o comprador", afirmou o presidente da Anvisa, Dirceu Barbano.

Lígia Formenti / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 Dezembro 2013 | 02h05

Os dados sobre compradores dos demais remédios passarão a ser incluídos no sistema em uma segunda etapa, com prazo ainda não definido. Todas as embalagens deverão apresentar sistema bidimensional, semelhante a um código de barras, que permitirá ao usuário saber se o produto é original. Trata-se de ferramenta essencial para evitar contrabando e falsificações, segundo a indústria.

O processo deverá estar totalmente implementado em três anos. Dentro de dois anos, no entanto, cada fabricante apresentará pelo menos três linhas de produtos com o sistema já em funcionamento. "É um grande dia para quem defende a ética no mercado de medicamentos no País", afirmou o presidente da Associação Brasileira de Indústria de Pesquisa (Interfarma), Antonio Brito.

Mais conteúdo sobre:
saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.