Remédios terão reajuste de até 3% a partir do dia 31

Os medicamentos cujos preços são controlados pelo governo vão sofrer reajuste de até 3% no próximo dia 31. A expectativa dos comerciantes do setor, no entanto, é de que o aumento médio seja de 2,5%. Segundo a Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABC Farma), quem controla o tabelamento dos preços e autoriza os reajustes é a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão vinculado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). ?A CMED já publicou a autorização do aumento, que será de até 3%, dependendo da categoria de medicamentos e da produtividade do setor?, explicou o presidente da entidade, Pedro Zidói. ?Porém, ainda falta a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro, que será liberado neste segunda-feira, para fecharem os porcentuais de reajuste?, completou. O aumento deverá afetar o preço de mais de dez mil remédios controlados. Mas por conta da concorrência acirrada entre as drogarias, algumas podem até retardar o repasse dos novos preços. Regras Segundo a Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica (Febrafarma), o governo leva em conta quatro fatores para definir o índice de aumento dos produtos. Os dois mais importantes são o IPCA do período e a produtividade. Para chegar aos índices a CMED leva em conta a concorrência destes medicamentos com genéricos. Quanto maior a disputa, maior será o porcentual autorizado. Por conta dessas regras, o governo cria três faixas de índices para a correção dos preços. Em pesquisa recente, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgou que os reajustes seriam de 1,01%, 2,02% e 3,03%, dependendo da faixa na qual o medicamento for enquadrado. No entanto, o presidente da ABC Farma acredita que o aumento médio dos remédios será de 2,5%. ?Mas os laboratórios podem continuar praticando os preços antigos, para disputar mercado.? Embora a data-base do reajuste seja 31 de março, os laboratórios precisam esperar a publicação de uma tabela de preços atualizada para poder repassar a alta aos consumidores. Por conta disso, as pessoas só serão afetadas pelo aumento no meio de abril. A Febrafarma e a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) preferiram não se pronunciar sobre a correção dos preços. O Reajuste Está Chegando Data A data oficial estipulada para o reajuste do preço dos medicamentos é 31 de março. Porém, farmácias e drogarias devem esperar a publicação de uma tabela de preços atualizada para só depois repassar o aumento para os consumidores. A ABC Farma acredita que o material deverá chegar na mão dos comerciantes até a metade de abril. Índices Segundo a ABC Farma, o governo autorizou reajustes de até 3%. Contudo, ainda falta a divulgação do IPCA de fevereiro (o que deve ocorrer hoje) para definir o índice exato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.