Reprodução assistida para soropositivos atende 100 casais em 1 ano em SP

Programa permite reduzir a chance de transmissão vertical e infecção entre os parceiros

Central de Notícias,

26 Maio 2011 | 12h05

São Paulo, 26 - O Ambulatório de Reprodução Assistida instalado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo completa um ano de existência com 100 casais atendidos.

O programa permite aos casais reduzirem ao máximo a chance de transmissão vertical ou mesmo de que ocorra infecção entre os parceiros. Na quase totalidade dos serviços de reprodução assistida no Brasil, o fato de ser portador de HIV é um critério de exclusão dos pacientes.

Nos casos de casais em que ambos são soropositivos, é programada inseminação artificial após a aplicação da técnica de lavagem de esperma. No caso em que o homem é soropositivo e a mulher, não, também é feita a inseminação artificial após a lavagem de esperma. Nos casais em que apenas a mulher é soropositiva é realizada a inseminação artificial.

O serviço localiza-se no Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP e atende pacientes de todo o Estado de São Paulo. Funciona todas as sextas-feiras, a partir das 7 horas. Casais que desejam se inscrever no ambulatório podem ligar para: (11) 5087-9889.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.