Residentes do Hospital São Paulo decidem interromper greve

Categoria resolveu dar 'voto de confiança' para unidade e vai retomar as atividades neste sábado

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

03 Julho 2015 | 17h29

SÃO PAULO - Os médicos residentes do Hospital São Paulo, administrado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), anunciaram nesta sexta-feira, 3, o fim da greve iniciada no dia 23 de junho. Mesmo com o fim da paralisação, a categoria informou que vai continuar exigindo a compra de insumos e medicamentos.

"Fizemos uma assembleia e optamos por suspender a greve, mas vamos perpetuar o estado de greve. Teremos a mobilização dos residentes sem que haja a paralisação. O movimento não se encerrou", afirma Diego Garcia, presidente da Associação de Médicos Residentes do Estado de São Paulo (Ameresp).

Segundo Garcia, o retorno às atividades, que será feito amanhã, foi decidido após negociações e que os cerca de 1.200 residentes que trabalham no hospital resolveram dar um "voto de confiança" para a unidade.

"Nenhuma demanda foi atendida. Os gestores se comprometeram a resolver os problemas e este é um voto de confiança. Estamos montando uma equipe para cobrar os compromissos firmados."

Em nota, o Hospital São Paulo informou que já foi notificado em relação ao fim da greve e que os atendimentos serão retomados a partir das 7 horas deste sábado.

Mais conteúdo sobre:
residentesHospital São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.