Ressonância e tomografia ganham novas diretrizes

A Sociedade Brasileira de Cardiologia publicou as novas diretrizes em ressonância magnética e tomografia. Conforme adiantou o jornal O Estado de S. Paulo em 9 de março, foram 18 meses de trabalho. Hoje, os centros de ponta não especializados utilizam cerca de 15% da capacidade das máquinas de ressonância para exames do coração, por exemplo. Ainda é pouco, mas é o tipo de exame de imagem que mais tem crescido no País nos últimos cinco anos. O maior uso da máquina é para oncologia. O texto está no site www.cardiol.br.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2006 | 11h02

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.