Ressonância pode prejudicar pacientes com males renais

As autoridades de saúde dos Estados Unidos advertiram neste sábado que as pessoas com problemas renais que se submetem a exames de ressonância magnética podem sofrer um problema de endurecimento da pele e fraqueza muscular. A Administração de Alimentos e Remédios (FDA, sigla em inglês) assinalou que o problema, chamado de fibrose sistêmica nefrogênica, foi detectado em pacientes com graves problemas renais que se submeteram a este tipo de exame, que usa uma substância de contraste chamada gadolínio. Em comunicado, a FDA afirmou que fibrose foi detectada até agora em 90 pacientes nos Estados Unidos e 215 no mundo. Em todos eles foi constatada a presença da substância. As autoridades informaram que estudos estão sendo feitos para determinar com precisão a origem da doença. Cerca de 20 milhões de americanos sofrem problemas renais crônicos, segundo a Fundação Nacional do Rim. Os exames de ressonância magnética são utilizados para detectar lesões renais, e os agentes de contraste ajudam a mostrar a presença de quistos ou outros problemas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.