Restaurantes de Buenos Aires retiram saleiros de suas mesas

Cerca de 20% da população da capital argentina sofre de hipertensão

Efe

31 Maio 2011 | 15h20

Buenos Aires - Os restaurantes de Buenos Aires se comprometeram nesta segunda-feira a retirar os saleiros de suas mesas como uma forma de combater a hipertensão arterial.

Trata-se de uma iniciativa do Ministério da Saúde local que foi estabelecida em um acordo referendado por empresários do ramo da gastronomia e pelo sindicato de padeiros da província, que passaram a produzir alimentos com baixo teor de sódio.

Cerca de 20% da população de 15,6 milhões de Buenos Aires sofre de hipertensão, primeira causa de AVC (acidente vascular cerebral) e um dos principais fatores de risco de doenças cardiovasculares, informou nesta segunda-feira o Ministério da Saúde.

Segundo o acordo assinado com a Federação Empresária Hoteleira Gastronômica da República Argentina (FEHGRA), os estabelecimentos só disponibilizarão o saleiro caso seja solicitado pelos clientes, e sempre após terem provado o prato.

"Em média, cada argentino consome 13 gramas de sal por dia quando, segundo a Organização Mundial da Saúde, é recomendável consumir menos de cinco gramas. Se na província pudéssemos diminuir para três gramas o consumo diário, evitaríamos cerca de 2 mil mortes por ano, sobretudo, por AVC", disse o ministro da Saúde, Alejandro Collia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.