Restrição de viagens de soropositivos é mantida em 57 países

Estados Unidos derrubam proibição depois de 22 anos restringindo viagens aos portadores do vírus HIV

Efe,

04 Janeiro 2010 | 13h19

Pelo menos 57 países e territórios, algumas pequenas ilhas da Micronésia e Melanésia, mantêm alguma forma de restrição para a entrada, estadia e residência de pessoas infectadas com o vírus da aids, confirmou nesta segunda-feira, 4, à Agência Efe Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids).

 

Os Estados Unidos saíram nesta segunda-feira dessa lista, depois de 22 anos proibindo viagens aos soropositivos. Desde esta segunda-feira, a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) já não figura na lista de doenças que devem ser comunicadas para solicitação de visto para os EUA e não são mais exigidos testes médicos prévios à viagem. Outro país que anteriormente levantou as restrições similares foi a República Tcheca.

 

A Unaids, no entanto, assinalou nesta segunda-feira que inúmeros países ainda mantêm algum tipo de limitação para que as pessoas que contraíram o vírus da aids entrem em seu território, entre estes a Austrália, China e Rússia.

 

Na América Latina, segundo uma lista do organismo da ONU, estão Cuba, República Dominicana, Equador, Nicarágua, Panamá e Paraguai. Também têm medidas restritivas países do Oriente Médio, do Golfo Pérsico e alguns da Ásia Central. Entre as ilhas estão as que compõem a Micronésia, assim como Fiji, as Ilhas Marshall, Samoa, as Ilhas Salomão e Tonga.

Mais conteúdo sobre:
aids restriçao viagem Unaids

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.