André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Deputado lamenta que nem todos do PP tenham votado 'sim'

Ricardo Barros se desculpou com o presidente do PMDB, Romero Jucá; ele negociava com o governo posto no Ministério da Saúde

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

18 Abril 2016 | 11h54

BRASÍLIA - O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) se desculpou com o presidente em exercício do PMDB, senador Romero Jucá (RR), na noite deste domingo, 17, no Salão Verde da Câmara após a votação que autorizou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O motivo foi o PP não ter conseguido entregar todos os votos da bancada em favor do afastamento da presidente.

Apesar de o PP ter fechado questão pelo impeachment, o deputado manteve seu voto em segredo, negociando um posto no Ministério da Saúde com o governo.

Barros cumprimentou o presidente do PMDB pela vitória com um meio abraço e tapinha nas costas. Depois, em cochichos, fez a contagem. "É... Perdemos sete votos", disse. Mas minimizou a situação, sinalizando com as mãos que, por fim, deu tudo certo.

Era esperado que Barros votasse com o governo, já que o deputado preferiu não manifestar seu voto mesmo depois de seu diretório regional e, em seguida, o nacional fecharem questão para aprovar o impeachment. Durante as semanas em que a Câmara passou a avaliar o processo, Barros negociou com o governo o Ministério da Saúde. 

Barros ganhou reconhecimento nacional no ano passado, ao ser o relator do Orçamento da União. Na época, ele afirmou que pretendia cortar R$ 20 bilhões do programa Bolsa Família e precisou ser contido pelos governistas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.