Rio Grande do Sul confirma três casos de sarampo após 11 anos de erradicação

Fiocruz identificou nas pacientes o mesmo vírus que circula na África desde 2007

Agência Brasil

22 Setembro 2010 | 20h05

BRASÍLIA - Depois de 11 anos sem sarampo, a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul confirmou três casos no Estado. Segundo o governo gaúcho, o laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, referência nacional sobre a doença, identificou nas pacientes o mesmo vírus que circula na África desde 2007.

Todos os casos foram registrados em Porto Alegre, sendo dois em garotas de 10 e 11 anos, da mesma família, que viajaram com os pais para Buenos Aires, na Argentina, de 22 a 28 de julho, mesmo período em que foram identificados casos de sarampo no país vizinho. As crianças não foram vacinadas contra a doença. A suspeita é de que o vírus que circula na Argentina tenha origem na África do Sul.

O terceiro caso foi em uma menina de 9 meses, que contraiu a doença após ter contato no hospital com uma das outras infectadas.

No total, o Rio Grande do Sul identificou 50 casos suspeitos. Desses, três foram confirmados, 38 descartados e nove continuam sob investigação.

Este ano, foram registradas três suspeitas da doença em Belém, no Pará, e 11 em João Pessoa, na Paraíba. O Ministério da Saúde informou que a circulação do vírus dentro do Brasil não ocorre desde o ano 2000 e que os casos confirmados, desde então, se originaram em outros países.

Para evitar a propagação da doença, o ministério recomenda reforçar a aplicação da vacina na população entre 1 e 49 anos. A dose é gratuita e está disponível nos postos de saúde.

Mais conteúdo sobre:
sarampo Fiocruz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.