Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Rio pode suspender calendário de vacinação se ministério não enviar doses, alerta secretário

Cidade passou por situação parecida no mês passado, quando pressão pública funcionou; na segunda-feira, planejamento é vacinar pessoas de 26 anos

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2021 | 15h21

RIO - Pela segunda vez em menos de um mês, o Rio pode suspender a aplicação da primeira dose de vacinas contra a covid-19 por causa de atrasos do Ministério da Saúde. Em alerta publicado na manhã deste sábado, 7, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que a prefeitura aguarda ainda neste sábado, 7, o envio dos imunizantes que a pasta tem em estoque.

“Estamos aguardando o envio hoje das doses de Coronavac e Pfizer já no estoque do Ministério da Saúde. Caso o envio não se confirme, teremos que suspender o avanço do calendário para aplicação de primeiras doses na próxima segunda-feira”, escreveu no Twitter.

No dia 23 do mês passado, a aplicação chegou a ficar cinco dias parada na cidade. Nesta manhã, o prefeito Eduardo Paes (PSD) compartilhou a publicação de Soranz destacando a importância da distribuição e o resultado positivo das vacinas já aplicadas.

“Mais uma vez fazemos esse apelo público ao Ministério da Saúde. Soube que tem inclusive um monte de Coronavac do Butantan lá estocada. Bora distribuir. Só 5% dos internados no Rio tomaram vacina. Ou seja, elas funcionam e SALVAM VIDAS!  #boradistribuir”, publicou.

Apesar de ter apresentado quedas importantes nos números relativos à pandemia nos últimos meses, o Rio voltou a ligar o alerta nesta semana, especialmente por causa da variante Delta, com 67 casos até a manhã desta sexta-feira. Foi a primeira semana desde maio em que houve aumento no número de casos de covid na capital fluminense. De acordo com o boletim desta sexta-feira da prefeitura, a única pessoa que morreu até agora por causa da variante foi uma idosa que havia se recusado a tomar a vacina.

O ministério vem negando a existência de problemas na distribuição dos imunizantes. Neste sábado, inclusive, a pasta se vangloriou do fato de 150 milhões de doses já terem sido aplicadas no País. Ao todo, 65% da população adulta brasileira tomou pelo menos a primeira dose de alguma vacina.

Procurada pelo Estadão, a pasta alegou que 298,2 mil doses foram enviadas ao Rio nesta semana e que outras 696,2 mil começaram a ser distribuídas na sexta-feira. Este processo, segundo a nota, será concluído neste domingo, 8. 

No Rio, as reclamações são constantes. Na manhã desta sexta-feira, o secretário Soranz já tinha avisado que novos atrasos estavam dificultando o planejamento. Doses esperadas na quinta à noite só chegaram na noite de sexta, o que obrigou a prefeitura a fazer uma operação na madrugada para distribuir as vacinas pelos postos.

O adiamento em um dia causou impacto na programação do fim de semana. Paes pediu para as pessoas chegarem a partir das 10h aos pontos de vacinação neste sábado - duas horas após o habitual -, a fim de dar tempo de os imunizantes serem distribuídos. O resultado visto nesta manhã foi de filas em diversos locais da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.