Rio quer vacinar mais de 1 milhão de crianças contra a poliomielite

Campanha de vacinação será realizada no próximo sábado, dia 18

Agência Brasil

14 Junho 2011 | 17h47

Rio de Janeiro - Pelo menos 1 milhão de crianças devem receber a primeira dose da vacina contra poliomielite, conhecida como paralisia infantil, no próximo sábado (18), no estado do Rio de Janeiro. O número representa quase 8% do total de crianças menores de 5 anos (14,1 milhões) que o Ministério da Saúde pretende imunizar em todo o país.

No Rio de Janeiro, 20 mil pessoas estarão envolvidas na imunização, atuando em 3,5 mil postos fixos e móveis que serão montados em 92 municípios, segundo a secretaria Estadual de Saúde.

Em todo o país, a campanha vai reunir 350 mil profissionais de saúde e de outras áreas para prestar atendimento à população em 115 mil postos. Os pontos de atendimento vão funcionar das 9h às 17h. Centros comerciais, shoppings, rodoviárias e escolas também terão postos móveis. De acordo com o ministério, o número de postos disponíveis durante a campanha representa quase cinco vezes mais do que o habitual.

O governo está investindo R$ 466 milhões na primeira e na segunda etapa da campanha de imunização contra a poliomielite. A segunda fase está marcada para 13 de agosto. De acordo com o Ministério da Saúde, a criança só fica completamente protegida contra a paralisia infantil após receber as duas doses da vacina.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave que provoca lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia. Em alguns casos, ela pode levar à morte. A infecção é por via oral a partir da transmissão do vírus conhecido como poliovírus.

No Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, em São Paulo, Minas, Pernambuco, na Bahia, no Ceará e em Sergipe crianças de 1 e 7 anos também receberão no sábado (18) a vacina tríplice viral, que combate o sarampo, a rubéola e a caxumba. O governo está investindo R$ 163,12 milhões na campanha da vacina tríplice viral. Ela será realizada nos demais estados e no DF em 13 de agosto. A expectativa do ministério é vacinar 17 milhões de crianças entre 1 e 7 anos contra o sarampo.

O último caso da doença no Brasil foi registrado em 1989. Cinco anos depois, o país recebeu o certificado de erradicação da poliomielite, emitido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas, de acordo com o Ministério da Saúde, enquanto houver circulação do vírus em qualquer região do mundo é necessário continuar com a vacinação. A OMS admite a presença do vírus e o registro de casos da doença em 26 países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.