Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Rio retoma aulas presenciais em três turmas da rede municipal

Segundo a secretaria municipal de Educação, alunos, professores e funcionários que tenham comorbidades e estejam no grupo de risco para infecção pela Covid-19 não vão voltar

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2020 | 18h28

RIO - Fechadas desde março em função da pandemia de covid-19, as escolas da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro reabriram nesta terça-feira (17) para aulas presenciais oferecidas a alunos de três turmas: o 9º ano do Ensino Fundamental, o último ano do Programa de Educação de Jovens e Adultos (Peja) e o Carioca 2 (espécie de reforço escolar). Trata-se de um universo de 61 mil alunos, distribuídos por 427 escolas.

A secretaria municipal de Saúde só vai divulgar balanço na quarta-feira (18). Durante a tarde, sem citar exemplos específicos, dirigentes das escolas e integrantes do sindicato da categoria informaram que o movimento nas escolas foi muito pequeno. Os professores da rede municipal estão em greve contra as aulas presenciais – segundo a prefeitura, a adesão é pequena e não inviabiliza o retorno delas. A presença ou não dos alunos nas aulas é opcional – eles seguem tendo a opção de aulas remotas. O retorno de outras turmas se dará após uma avaliação desta retomada iniciada nesta terça-feira.

Por enquanto, as aulas acontecerão em quatro dias da semana – às segundas, terças, quintas e sextas-feiras. Às quartas-feiras as escolas ficarão fechadas para higienização. As turmas foram divididas em dois grupos, para evitar aglomerações. Serão três horas de aulas por dia, nos turnos da manhã e da tarde para o 9º ano e à noite para o Peja.

Segundo a secretaria municipal de Educação, alunos, professores e funcionários que tenham comorbidades e estejam no grupo de risco para infecção pela covid-19 não vão voltar às aulas presenciais. Ainda conforme a pasta, máscaras e álcool em gel estarão disponíveis para todos, e os protocolos de segurança indicados pela Vigilância Sanitária serão cumpridos.

“A escola é uma referência muito forte para as famílias. Muitos pais e responsáveis aguardavam com grande expectativa este momento de retorno às aulas presenciais. Lugar de criança é na escola”, afirmou a secretária municipal de Educação, Talma Romero Suane.

Greve. A maioria dos professores da rede municipal é contrária ao retorno às aulas presenciais e, em assembleia virtual realizada na segunda-feira (16), a categoria decidiu manter a greve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.