Prefeitura do Rio de Janeiro/Divulgação
Prefeitura do Rio de Janeiro/Divulgação

Rio suspende aulas da rede municipal por causa do coronavírus

Aulas serão suspensas a partir de segunda-feira, 16; rede atende cerca de 650 mil alunos em 1.540 escolas. Também estão suspensas as férias de profissionais de Saúde e Assistência Social enquanto durar a pandemia

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2020 | 13h07
Atualizado 13 de março de 2020 | 16h44

RIO - A Prefeitura do Rio anunciou nesta sexta-feira, 13, que as aulas da rede municipal de ensino serão suspensas a partir da próxima segunda-feira, 16. A intenção, segundo a Secretaria Municipal de Educação, é evitar aglomerações - numa tentativa de conter o avanço do novo coronavírus, que já teve transmissão local no Rio. 

As escolas só vão ser abertas das 11h às 13h, para servir almoço aos alunos. Isso porque muitas crianças, principalmente as mais pobres, dependem da refeição oferecida pelos colégios.

“O conteúdo pedagógico será repassado aos alunos através de ensino à distância, utilizando plataforma da MultiRio - Empresa Municipal de Multimeios, vinculada à SME - e as redes sociais”, informou a secretaria de Educação. A rede municipal atende cerca de 650 mil alunos, em 1.540 escolas.

Outras medidas

 O prefeito Marcelo Crivella se reuniu nesta sexta-feira, 13, com secretários para adoção de outras medidas. Além da suspensão das aulas da rede municipal de ensino, estão suspensas as férias de profissionais de Saúde e Assistência Social enquanto durar a pandemia. Também houve o cancelamento de concessões para a realização de eventos e a paralisação das atividades em Casas de Convivência, cinemas, teatros, lonas culturais e museus municipais.

Outras medidas indicadas pelo município têm caráter sugestivo, já que não versam sobre locais municipais. Frequentar cinemas e teatros, por exemplo, não é recomendado. Há ainda uma recomendação para que empresas adotem jornadas de trabalho alternativas ou o trabalho de casa, a fim de evitar aglomerações no transporte público. “O setor público deverá adotar o mesmo princípio de escala”, apontou a Prefeitura.

O governador Wilson Witzel anunciou a suspensão das aulas na rede estadual. O Estado do Rio já tem, oficialmente, 16 casos confirmados. Há, entre eles, um que pegou o vírus por transmissão local, ou seja, foi contaminado por alguém dentro do Rio, sem ter voltado de viagem internacional.

Órgãos como o Tribunal de Justiça e a Assembleia Legislativa já anunciaram medidas restritivas para diminuir a circulação de pessoas em suas sedes. 

O município entrou em estágio de atenção às 16h por causa das medidas. O gabinete de crise da Prefeitura vai se reunir na próxima terça-feira, 17, para definir novas diretrizes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.