Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Rio tem o mais baixo índice de dengue desde 2005, mas há risco de epidemia

Segundo levantamento, infestação do mosquito transmissor Aedes aegypti ficou em 2,3%. No entanto, nº de casos da doença aumentou, se comparado com o mesmo período do ano passado

Agência Brasil,

25 de janeiro de 2012 | 12h28

No primeiro levantamento do ano sobre o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, no município do Rio de Janeiro, o risco de infestação ficou em 2,3%. O resultado foi o mais baixo desde 2005, disse nesta última terça, 24, o superintendente de Vigilância em Saúde do município do Rio, Márcio Garcia.

 

Segundo Garcia, o estudo apontou ainda os principais locais onde foram encontrados focos do mosquito. Entre eles, estão os vasos de planta, frascos com água, pratos, garrafas entre outros recipientes móveis, que apresentaram 26,4% das ocorrências em toda a capital fluminense.

 

"No último levantamento a gente teve um predomínio dos depósitos fixos que são os ralos, as lajes, as piscinas não tratadas, e neste levantamento mais atualizado, a gente teve uma predominância de depósitos móveis que são os vasos de planta e outros tipos de depósitos que podem ser eliminados. Essa vai ser a nossa prioridade agora", disse.

 

Apesar da pesquisa apesar um índice menor de infestação do mosquito, o superintendente não descartou a possibilidade de uma nova epidemia de dengue no município. Ele explica, que o número de casos da doença aumentou, se comparado com o mesmo período do ano passado.

 

"A gente tem uma expectativa de infelizmente viver uma grande epidemia de dengue, e para isso não o correr a gente está destinando todos os nossos esforços. Na primeira semana de 2012, nós já temos um número maior de casos. Quando a gente compara com a primeira semana de 2011, isso só fortalece a nossa expectativa de vivermos o ano de 2012 com um número muito grande de casos de dengue", ressaltou.

 

Também nesta terça, a secretaria de Saúde e Defesa Civil do Rio apresentou o balanço da doença em todo o município, que registrou na última semana, seis novos casos de dengue, totalizando 532 notificações este ano. Desde o mês de agosto do ano passado não foi registrada morte por dengue na cidade.

 

Já a Secretaria de Estado de Saúde informou em seu balanço semanal que foram notificados 1.270 casos suspeitos de dengue no estado. A secretaria ressaltou que no município de Niterói, região metropolitana, foi confirmada a presença do vírus tipo quatro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.