Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

Rio antecipa vacina de adultos e quer imunizar adolescentes; Paes provoca Doria

Prefeito anunciou ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que antecipará o cronograma da cidade

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2021 | 09h24

RIO - O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), anunciou no início da manhã desta sexta-feira, 18, que a capital "irá antecipar em um mês e 21 dias" o cronograma de vacinação na cidade. Assim, todos os cariocas com mais de 18 anos serão imunizados com a primeira dose contra a covid-19 até 31 de agosto. Nas redes sociais, o prefeito continuou a "provocar" o governador de São Paulo João Doria (PSDB), com quem tem travado uma corrida para encerrar mais rápido a imunização da população adulta. 

Em um vídeo no Twitter, Paes anunciou a antecipação e escreveu que tinha passado o prazo definido por Doria, que afirmou que vai cumprir a meta em 15 de setembro.

"Falei para não me desafiar! Bora vacinar! Todos cariocas acima de 18 anos vacinados com a primeira dose até 31/08. E adolescentes de 12 a 17 vacinados em setembro! Ninguém segura os cariocas!" Ele escreveu a hashtag #vaitercarnaval e celebrou a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Butantan.

Doria parabenizou o prefeito e respondeu: "E me aguarde. Como falei, temos vacina na agulha!"

Ao longo desta semana, Paes tem participado de uma espécie de competição com Doria, Flávio Dino, governador do Maranhão, e Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, para ver quem vacina a população primeiro.

Vacinação de adolescentes no Rio

Com a antecipação do calendário, Paes quer ainda que a cidade também se transforme na primeira cidade do País a vacinar adolescentes, o que deverá acontecer em setembro.

No primeiro calendário de vacinação anunciado pelo Rio, a expectativa era de que todos os adultos fossem vacinados até 21 de outubro, mas o cronograma foi revisto a partir do envio de novas remessas de imunizantes.

"O calendário parte de dados informados pelo ministério da Saúde, que é quem compra as vacinas e distribui", explicou o prefeito. "Essa regularidade tem acontecido até de forma mais rápida do que esperávamos."

Segundo Paes, o primeiro cronograma de vacinação era bastante conservador. "A gente sempre trabalha com uma margem de conforto grande, como naquele calendário que previa vacinação até 21 de outubro. A gente está provando que a margem de conforto era grande, reduziu em um mês e 21 dias, quase dois meses de antecipação. É óbvio que agora a gente está com a margem menor, na medida que a gente afunila isso. Mas estamos muito confiantes", ponderou.

De acordo com o prefeito, uma grande remessa de vacinas é esperada para os meses de julho e agosto, o que está possibilitando a antecipação da campanha de vacinação. E foi a partir dessa previsão que ele fez outro anúncio. "A gente quer ser a primeira cidade brasileira a começar já no mês de setembro a vacinação dos nossos adolescentes", disse, citando jovens de 12 a 17 anos.

Ministro da Saúde defende Bolsonaro

O anúncio de antecipação do calendário de vacinação foi feito ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a quem Paes agradeceu pelo "envio regular" dos imunizantes.

O ministro aproveitou o anúncio para defender o presidente Jair Bolsonaro. Na avaliação de Queiroga, os questionamentos de Bolsonaro acerca das vacinas são pertinentes. "O presidente Bolsonaro fala que não se tem todas as evidências científicas da vacina, e aí se interpreta que ele está questionando a vacina. Nós temos que questionar, sim. Não se tem todas as evidências científicas ainda", declarou o ministro.

"Por exemplo, nós não sabemos se podemos dar a primeira dose com a vacina de uma marca, e a segunda com outra. É possível que isso seja uma estratégia adotada, e como é que nós vamos fazer isso? Fazendo pesquisas", disse Queiroga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.