RJ e SP terão primeiros centros de reabilitação visual pelo SUS

Centros atenderão cerca de 7,5 mil pessoas cegas ou com baixa visão por ano, segundo o Ministério da Saúde

Agência Brasil,

04 Fevereiro 2010 | 10h03

As cinco primeiras unidades de reabilitação visual do Sistema Único de Saúde (SUS) serão instaladas para atender cerca de 7,5 mil pessoas cegas ou com baixa visão por ano. Os pacientes terão à disposição equipamentos ópticos, tratamento terapêutico e acompanhamento médico para desenvolverem habilidades para enfrentar as dificuldades causadas pela perda visual, como caminhar na rua e realizar tarefas em casa.

 

O Ministério da Saúde informou que liberou R$ 1,9 milhão para a instalação dos primeiros centros no Rio de Janeiro e em São Paulo, mas não disse quando o sistema começa a atender os pacientes. O dinheiro será repassado a clínicas, hospitais e instituições que já prestam algum serviço oftalmológico e serão credenciados ao SUS. A previsão do governo é instalar mais 70 unidades em outros estados até 2011, somando R$ 39,1 milhões.

 

Segundo o ministério, a oferta gratuita de aparelhos para a reabilitação foi ampliada de quatro para dez tipos. Entre os novos equipamentos estão lentes para visão de perto e de longo alcance, lupas (com ou sem iluminação) para leitura e ampliação de imagens e sistema telescópico para visualizar objetos à distância.

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 0,3% de uma determinada população tem cegueira e 1,7% baixa visão. Com o avanço da idade, crescem as chances de doenças oculares que levam à perda da visão. Na faixa acima dos 50 anos, as mais comuns são catarata, glaucoma, retinopatia diabética e a degeneração macular (centro do campo visual).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.