Fabio Motta/AE - 13/7/2012
Fabio Motta/AE - 13/7/2012

RJ terá centro para idosos com hanseníase

Objetivo é transformar o Hospital Tavares de Macedo, em Itaboraí, em local referência para o atendimento dessa especialidade médica

Clarissa Thomé, RIO ,

17 Julho 2012 | 22h30

Uma colônia para pacientes com hanseníase está criando o primeiro serviço de gerontologia e geriatria para essa pessoas. A intenção é transformar o Hospital Tavares de Macedo, em Itaboraí (RJ), em referência para o atendimento dessa especialidade médica, com a abertura de um centro dia também à população em geral.

Na semana passada, pesquisadores debateram no 1.º Simpósio sobre Envelhecimento e Hanseníase aspectos da saúde dos pacientes submetidos ao isolamento compulsório nas antigas colônias - 7 mil ainda vivem na instituição; 180 são idosos.

As sequelas de hanseníase agravam doenças comuns aos idosos. A hipertensão acometerá um paciente que já tem complicações renais, por conta da medicação tomada para combater a enfermidade. Osteoporose, artrose e artrite atingirão ossos já comprometidos. As questões de saúde são acompanhadas ainda pelo estigma da doença. “O idoso tem alta hospitalar, mas não tem alta social”, afirma a diretora do Tavares de Macedo, Ana Claudia Krivochein. No centro dia, os pacientes terão atividades diárias, refeições e consultas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.