Robson Fernandjes/Estadão
Robson Fernandjes/Estadão

Robô começa a operar no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo

Equipamento já fez três cirurgias no hospital, o primeiro a contar com a tecnologia na rede pública estadual

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2014 | 17h06

Pela primeira vez, um robô foi incorporado à equipe de cirurgiões de um hospital público do Estado de São Paulo. O equipamento, apresentado nesta quarta-feira, 19, está funcionando no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e já fez três cirurgias, todas de retirada de próstata. A primeira delas foi realizada no dia 7 de fevereiro.

A tecnologia faz parte de um projeto de pesquisa do Icesp que vai avaliar a eficácia e a segurança da cirurgia robótica em comparação com as técnicas tradicionais. Cerca de 500 pacientes serão operados no período de três anos da pesquisa.

Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), além de cirurgias urológicas, o robô fará ainda procedimentos ginecológicos, torácicos, do tubo digestivo e da cabeça e pescoço. “A robótica pode trazer muito mais segurança, mais precisão ao cirurgião, menor internação, menor sangramento, muitos benefícios”, disse o governador.

Embora tenha sido apresentado por Alckmin em evento para a imprensa, o robô, de R$ 10 milhões, foi pago pelo Ministério da Saúde.

Mais conteúdo sobre:
robôcirurgiaicespcâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.