Divulgação/Nasa
Divulgação/Nasa

Robô Curiosity está pronto para partir rumo a Marte no final de novembro

Com quase uma tonelada de peso, a sonda leva a bordo o Laboratório Científico Marciano composto por uma dezena de instrumentos de análise para examinar o solo, as rochas e a atmosfera de Marte

Efe,

11 de novembro de 2011 | 09h43

WASHINGTON - O robô explorador Curiosity, que abrigará o laboratório móvel mais complexo enviado até agora a Marte, está preparado para partir no dia 25 de novembro com a missão de analisar as condições ambientais do planeta vermelho e determinar se é possível que exista, ou tenha existido, vida ali.

 

Com quase uma tonelada de peso - ele é do tamanho de um carro -, Curiosity leva a bordo o Laboratório Científico Marciano (MSL, na sigla em inglês), composto por uma dezena de instrumentos de análise para examinar o solo, as rochas e a atmosfera de Marte.

 

"Os preparativos estão em andamento para lançarmos na primeira oportunidade", informou Pete Thisinger, diretor de projeto do MSL, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (agência espacial americana). No entanto, o especialista lembrou que, se houver qualquer contratempo meteorológico ou imprevisto, contam com tempo até o dia 18 de dezembro.

 

A previsão é que o Curiosity aterrisse em Marte em agosto de 2012 para examinar a cratera Gale durante cerca de dois anos na primeira etapa da viagem. A parte da cratera onde o robô posará "tem um leque fluvial provavelmente formado por sedimentos arrastados por água", explicou John Grotzinger, cientista do projeto MSL no Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena.

 

Além disso, os especialistas acreditam que as camadas da base da montanha contêm argila e sulfato, ambos materiais formados com água. "Gale nos dá uma excelente oportunidade para analisar vários entornos potencialmente habitáveis e seu contexto para entender um longo registro da evolução adiantada do meio ambiente do planeta", comentou Grotzinger.

 

Curiosity tem o dobro de comprimento e é cinco vezes mais pesado que seus antecessores, Spirit e Opportunity, e será o robô com maior capacidade científica dos veículos já enviados pela Nasa.

 

A agência espacial americana considera que se trata de uma missão difícil e arriscada, pelo fato de o robô ser pesado demais para aterrissar com um paraquedas, motivo pelo qual será utilizado um novo método de desembarque.

 

Primeiro, o robô se desprenderá da estrutura na qual viaja e que o protege e posteriormente a plataforma exterior acenderá propulsores para reduzir a velocidade e aterrissarão o veículo com cordas por uma espécie de guindaste.

 

A Nasa prevê lançar o veículo do Cabo Canaveral, na Flórida, entre 25 de novembro e 18 de dezembro de 2011, que percorrerá 200 milhões de quilômetros antes de aterrissar em solo marciano

Tudo o que sabemos sobre:
MarteCuriosityNasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.