Roche informa primeiro caso de resistência do H1N1 ao Tamiflu

'Ao receber o remédio, o paciente pareceu desenvolver resistência a ele', afirmou líder da Roche contra a gripe

Reuters

29 Junho 2009 | 12h14

ZURIQUE - Um paciente da Dinamarca com o vírus da influenza H1N1 mostrou resistência ao Tamiflu, medicamento do laboratório Roche que é o principal antiviral usado para combater a enfermidade, informou nesta segunda-feira, 29, um executivo da empresa.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

"Ao receber o remédio, o paciente pareceu desenvolver resistência a ele", disse David Reddy, o líder da força-tarefa da Roche no combate à pandemia, durante uma entrevista à imprensa sobre o caso dinamarquês. "Este é o primeiro relato que temos da ocorrência disso com o H1N1."

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou o alerta de pandemia da gripe relativo ao vírus da H1N1 para a fase 6, numa escala de seis pontos, fato que indica que está em andamento no mundo a primeira pandemia de influenza desde 1968.

 

Autoridades de saúde da Dinamarca confirmaram ter sido constatado um caso de resistência ao antiviral Tamiflu.

 

"A pessoa está bem agora e não foi detectado nenhum outro caso de pessoa contagiada com o vírus resistente", disse o instituto estatal Serum, em um comunicado.

 

Em nota, a Roche informa que o vírus H1N1 continua a ser vulnerável ao medicamento, que não existem outros casos de resistência confirmados no mundo e que o tamiflu ainda é recomendado pela OMS.

 

As gripes comuns sazonais podem ser resistentes ao Tamiflu. Reddy disse que um caso de resistência ao H1N1 não é algo inesperado. Ele acrescentou que a Roche está buscando estratégias de contenção.

 

 

 

No domingo, o Brasil registrou a primeira morte pela doença. O paciente, um caminhoneiro de 29 anos, retornou ao Brasil no dia 19 vindo da Argentina. Ele morreu no Rio Grande do Sul.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.