Roncadores têm mais doenças cardiovasculares, diz pesquisa

Estudo na Hungria mostra risco 30% maior de ataque cardíaco e 67% de derrame.

Matt McGrath, BBC

01 de março de 2008 | 09h15

Um novo estudo realizado por pesquisadores húngaros indicou uma forte relação entre o ronco e doenças cardíacas e vasculares.Os pesquisadores acompanharam mais de 12 mil pacientes e concluíram que os roncadores pesados tinham um risco muito maior de ter um ataque cardíaco ou um derrame do que a população em geral.Esse novo estudo, publicado na última edição da revista especializada Sleep, reforça as teorias já existentes ligando o ronco a doenças cardiovasculares.Segundo a pesquisa húngara, os roncadores contumazes têm 30% mais chances de ter um ataque cardíaco e 67% mais chances de sofrer um derrame.Respiração interrompidaOs pesquisadores dizem que o ronco alto com interrupção da respiração pode ajudar a identificar as pessoas com o maior risco de ter essas doenças.Os dados da pesquisa indicaram que as pessoas que roncam baixo não têm um aumento no risco de sofrer de doenças cardiovasculares.O estudo mostrou ainda uma tendência à redução do ronco em homens a partir dos 70 anos.Apesar de ser mais comum em pessoas que estão acima do seu peso ideal, estima-se que cerca de 40% dos homens adultos e 24% das mulheres adultas ronquem com freqüência.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.