Rússia anuncia adiamento de retorno à terra da nave Soyuz

Desenganche não aconteceu devido a erros detectados em revisão

Efe

24 Setembro 2010 | 11h11

MOSCOU - O retorno à Terra da nave tripulada Soyuz TMA-18 foi adiado pelo menos até sábado, após o fracasso nesta sexta-feira, 24, da operação de desenganche da Estação Espacial Internacional (ISS), informou o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia.

 

"O desenganche da ISS estava previsto para as 5h35 pelo horário de Moscou (22h35 de Brasília). No entanto, a revisão prévia detectou erros nos sistemas automáticos", disse à agência "Interfax" um porta-voz do CCVE.

 

A bordo da Soyuz deviam retornar à Terra os cosmonautas russos Aleksandr Skvortsov e Mikhail Kornienko e a astronauta da Nasa Tracy Caldwell-Dyson.

 

Segundo a agência espacial russa, Roscosmos, a manobra de separação da nave tripulada foi abortada por um falso alarme sobre a vedação da Soyuz.

 

"Realizamos todas as revisões necessárias, que confirmam que o hermetismo da nave é total, o que é atualmente o que mais importa", disse o diretor da Roscosmos, Anatoli Perminov, em entrevista coletiva transmitida pelo canal de notícias "Russia 24".

 

Perminov explicou que os resultados preliminares da análise técnica mostram que o computador central de bordo recebeu um sinal errado de falta de hermetismo quando foram fechadas as escotilhas da Soyuz e do ponto de engate da ISS.

 

O diretor acrescentou que, apesar das revisões mostrarem que tudo está em ordem, para ter a certeza absoluta que não há problemas, foi tomada a decisão preliminar de adiar o desenganche para este sábado.

 

"Não devemos ter pressa, o mais importante é garantir a segurança da tripulação", afirmou.

 

Este é o segundo incidente em menos de três meses com uma nave russa que se acopla ou desengancha da ISS. Em 4 de julho fracassou a manobra de acoplamento da nave de carga Progress M-06M, devido a erros de seus sistemas automáticos de aproximação e engate.

Mais conteúdo sobre:
ISS, desenganche adiamento erros revisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.