Rússia planeja hotel orbitando no espaço

Um hotel em órbita, voos turísticos lunares e excursões luxuosas pelo cosmos - tudo isso faz parte de uma visão da Rússia para garantir que não seja deixada para trás na crescente indústria do turismo espacial.

ALISSA DE CARBONNEL, REUTERS

19 de agosto de 2011 | 13h00

Empresas russas revelaram seus planos na inauguração de um show aéreo esta semana em Zhukovsky, nos arredores de Moscou, dizendo que já estavam disputando a corrida para construir uma nova aeronave para levar as pessoas ao espaço, após a aposentadoria do ônibus espacial da Nasa em abril.

A RKK Energia revelou planos para substituir o ônibus espacial e a Orbital Technologies disse esperar fabricar um hotel orbital com quartos para sete hóspedes até 2016. Outros planos incluem voos turísticos para o lado escuro da Lua e, até 2030, para Marte.

"O turismo espacial é um negócio real e que cresce rápido", disse Sergei Kostenko, diretor da empresa russa Orbital Technologies, no show aéreo MAKS. "Quem conseguir construir a primeira nova nave espacial agora vai colher grandes dividendos."

Embora a Rússia detenha atualmente um monopólio sobre corridas ao espaço a bordo da Soyuz, sua nave de design soviético, começa em desvantagem.

Especialistas estrangeiros dizem duvidar que as empresas russas possam alcançar esses objetivos ambiciosos porque não têm fundos e mesmo as autoridades do país disseram que seria difícil rivalizar com empresas do setor privado norte-americano, que agora competem por contratos com a Nasa.

"Os Estados Unidos têm agora mais possibilidades do que nós", disse Alexander Derechin, vice-chefe de projetos da RKK Energia, a empreiteira espacial que é em parte propriedade do governo russo.

Ele disse que os Estados Unidos tomaram "uma decisão muito sábia" no planejamento de uma nave espacial financiada pelo estado e que a Rússia enfrentava dura competição de empresas como a Boeing Co e a Lockheed Martin, assim como de empresas iniciantes.

"Mas devemos fazer uma nave espacial financiada pelo estado, embora de uma maneira que ela também seja comercialmente competitiva. É uma missão muito difícil", disse Derechin.

A Rússia não pode vender lugares para turistas até 2013. Transporta astronautas europeus e americanos - por mais de 50 milhões de dólares por viagem - em sua Soyuz, que é a única maneira de alcançar a Estação Espacial Internacional, já que o ônibus espacial americano foi posto de lado.

Mais conteúdo sobre:
ESPACORUSSIAHOTEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.