Rússia quer proibir propaganda de cigarro até 2012 e fumo em locais públicos até 2015

Meio milhão morre por ano no país por causa do tabaco; meta é reduzir fumantes em um quarto

Reuters

04 Outubro 2010 | 21h24

MOSCOU - A publicidade de cigarro na Rússia, onde mais de metade dos adultos tem esse vício, deve ser proibida em 2012, e o fumo em locais públicos deve ser banido em 2015, informou o serviço de imprensa do governo nesta segunda-feira, 4. Os anúncios sobre o tema em outdoors já foram eliminados em 2007.

Cerca de meio milhão de pessoas morrem por ano no país em decorrência do tabaco. Segundo a ONU, a população russa deve encolher de 142 milhões para 116 milhões em 2050. Além do tabagismo, o alcoolismo, a aids, a poluição e a pobreza estão entre os fatores que levam a mortes prematuras e desencorajam nascimentos na Rússia.

O primeiro-ministro Vladimir Putin aprovou o programa antitabagismo no dia 23 de setembro, cuja meta é reduzir em um quarto o número de fumantes adultos entre 2010 e 2015, além de diminuir as doenças e as mortes relacionadas ao cigarro.

A publicidade do cigarro - atualmente, só permitida em alguns meios de comunicação impressos - seria proibida em 2012, de acordo com o extenso documento publicado no site oficial www.government.ru.

O programa também propõe a proibição, até 2015, do fumo em locais públicos, como escritórios, cinemas, ônibus e trens de longa distância. Apesar da proposta de proibição total em espaços fechados, o documento afirma que bares e restaurantes - a maioria dos que ainda não têm áreas para não-fumantes - poderiam ser excluídos.

Cerca de 80% dos russos são expostos por dia ao fumo passivo e 40% das mulheres fumantes mantêm o hábito durante a gravidez, revela o documento. O caso de amor da Rússia com o tabaco - onde muitos cigarros ocidentais custam apenas 50 rublos (R$ 2,77) o pacote - vai ser difícil de dissolver.

Em 1990, a falta de cigarros nacionais levou a uma "rebelião do tabaco" nas ruas das maiores cidades do país, obrigando o então governo soviético a apelar para uma transferência internacional de emergência.

Em junho, o Ministério da Saúde local forçou os fabricantes a colocar mensagens antifumo nos maços de cigarro, alertando sobre câncer de pulmão, rugas e impotência - normas similares às da União Europeia.

A Rússia continua sendo um dos maiores consumidores de cigarro do mundo, mas seu mercado nacional é dominado por um oligopólio das empresas Japan Tobacco Inc., Philip Morris International e British American Tobacco PLC. Cerca de 409 bilhões de cigarros foram produzidos na Rússia no ano passado, segundo a Associação de Produtores de Tabaco.

Mais conteúdo sobre:
fumo cigarro tabaco Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.