EFE
EFE

Sacerdote com Ebola volta à Espanha em estado grave

Manuel García Viejo, de 69 anos, contraiu o vírus em Serra Leoa; ele não deve ser tratado com o soro experimental ZMapp

AP

22 Setembro 2014 | 16h06

Um sacerdote espanhol infectado pelo vírus do Ebola em Serra Leoa, na África, foi levado de volta à Espanha nesta segunda-feira, 22.  Ele não será tratado com o soro experimental ZMapp, pelo menos enquanto se estudam outras alternativas para salvar a sua vida. 

A equipe médica que atende Manuel García Viejo, de 69 anos, disse que o estado de saúde do missionário é grave e que ele está desidratado, o que afetou o funcionamento de seus rins e fígado. García Viejo era diretor médico do hospital São João de Deus, na cidade de Lunsar, em Serra Leoa. Ele chegou a Madri em um avião militar pouco depois das 3 horas de segunda-feira e foi internado no hospital Carlos III da capital espanhola.


O doutor José Ramón Arribas, do Carlos III, explicou que estão esgotadas as amostras disponíveis de ZMapp e que são estudadas outras vias de tratamento, incluindo a possibilidade de administrar soro de outro paciente curado, que contém anticorpos para combater a doença. 

Há alguns dias, García Viejo expressou seu desejo de ser repatriado a Espanha após contrair o Ebola, disse o Ministério de Saúde. 

O sacerdote é o segundo espanhol que contrai o vírus. Miguel Pajares, de 75 anos e também sacerdote, foi repatriado da Libéria e tratado com o Zmapp, mas morreu em 12 de agosto.




Mais conteúdo sobre:
Ebolasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.