Monalisa Lins/Estadão
Monalisa Lins/Estadão

Saiba como prevenir doenças típicas de inverno

Precaução é a melhor escolha para diminuir o contágio, alertam pneumologistas

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

21 Junho 2017 | 11h31

Dor de garganta, rinite, sinusite, coriza, asma, bronquite, gripe, otite, pneumonia são as doenças do sistema respiratório mais comuns no inverno.

A estação mais fria do ano vem sempre acompanhada de enfermidades da época. Isso porque, com a chegada das baixas temperaturas, a umidade do ar diminui e a concentração de poluentes consequentemente aumenta, o que facilita a disseminação de vírus e bactérias.

Além de marcar o início oficial do inverno, esta quarta-feira, 21, também é o Dia Nacional de Combate à Asma. A doença se caracteriza pela falta de ar, chiado no peito, tosses constantes e catarro.

O pneumologista Mauro Gomes, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, ressalta que 20% da população brasileira têm asma e somente 9% têm controle da doença. Segundo ele, o tratamento deve ser diário com agentes inflamatórios e broncodilatores de longa duração.

Gomes afirma ainda que as aglomerações de pessoas em locais fechados facilitam a transmissão de agentes infecciosos e favorecem o ciclo do vírus Influenza. “Um espirro aqui, outro ali, coceira nos olhos, aperto de mão, e está fechado o ciclo para uma possível contaminação”.

As reações alérgicas também dão as caras no inverno. Ambientes fechados representam concentração de vários estímulos alérgicos.

Imunidade

O frio intenso também pode provocar a queda da imunidade das pessoas e as tornam mais predispostas a desenvolver doenças respiratórias. As crianças e idosos são as principais vítimas das infecções.

Segundo Humberto Bogossian, pneumologista do Hospital Israelita Albert Einstein, a melhor maneira para evitar os problemas de saúde presentes no inverno é a prevenção. “Mantenha o ambiente limpo e ventilado, lave os casacos e roupas de lã antes de usá-los, para evitar crise alérgica, tome as vacinas adequadas para a estação."

Bogossian alerta também para a automedicação. “Em caso de qualquer sintomas de alguma doença, não tome remédio por conta própria, procure um médico e siga as orientações." O pneumologista ressalta ainda que um paciente com alguma doença crônica deve manter o tramento regular prescrito pelo médico.

Campanha

A Secretaria Municipal da Saúde estendeu o prazo da campanha de imunização contra o vírus Influenza e ampliou o público-alvo na cidade de São Paulo. A vacinação contra a gripe agora irá até a sexta-feira, 23. Além de manter o foco nos grupos prioritários, poderão se vacinar também as pessoas com idade entre 55 e 59 anos.

A vacina, além de proteger contra a gripe, reduz o risco de complicações respiratórias e de pneumonia. As únicas contra-indicações são para pessoas com histórico de reação anafilática prévia ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer outro componente da vacina ou que apresentaram reação grave em doses anteriores da vacina. A relação completa dos postos pode ser consultada pelo telefone 156 ou no site (www.prefeitura.sp.gov.br/covisa).

 Confiras dicas para evitar doenças de inverno

 

 

Mais conteúdo sobre:
GripeVacinaResfriadoAsmaInverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.