Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Saiba como se prevenir da dengue

Doença transmitida pelo mosquito ‘Aedes aegypti’ aumenta durante o verão e os períodos de temperaturas elevadas e chuvas

Pedro Prata, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2019 | 17h32
Atualizado 08 de janeiro de 2020 | 13h10

SÃO PAULO - O número de casos de dengue no País aumentou 600% no ano passado na comparação com 2018. De 1º de janeiro a 7 de dezembro, foram 1,53 milhão de notificações, com 735 mortes. A maioria das ocorrências foi em Minas Gerais e São Paulo. As temperaturas elevadas e a ocorrência de chuvas durante o verão propiciam condições favoráveis para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da zika e da chikungunya.

A melhor forma de evitar a transmissão das doenças e é combater a proliferação do Aedes aegypti. Saiba como fazer a prevenção adequada ao mosquito:

Prevenção pessoal

Calças e camisetas de manga comprida minimizam a exposição da pele e podem proporcionar proteção contra picadas. Por isso, seu uso pode ser recomendado durante surtos, de acordo com o Ministério da Saúde.

Além disso, repelentes e inseticidas devem ser usados, uma vez que afastam os mosquitos. Mosquiteiros também são aconselhados, embora seja importante ressaltar que o mosquito Aedes aegypti é mais ativo durante o dia.

Prevenção para sua casa

A melhor forma de evitar a transmissão da dengue é combater a proliferação do Aedes aegypti. Para isso, o importante é eliminar possíveis locais de armazenamento de água:

  • Mantenha a caixa d’água fechada
  • Mantenha tonéis e barris d’água tampados
  • Lave semanalmente os tanques utilizados para armazenar água com escova e sabão
  • Encha até a borda os pratos das plantas com areia
  • Coloque no lixo todo objeto não utilizado que possa acumular água
  • Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada
  • Mantenha as calhas limpas
  • Não deixe água acumulada sobre a laje

Há vacina contra a dengue?

No momento, só existe uma vacina contra dengue registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que está disponível na rede privada. De acordo com o Ministério da Saúde, ela é usada em três doses no intervalo de um ano e só deve ser aplicada em pessoas que já tiveram pelo menos uma infecção por dengue, segundo o fabricante, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Anvisa.

Tudo o que sabemos sobre:
dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.