Jonathan NACKSTRAND / AFP
Jonathan NACKSTRAND / AFP

Saiba o que é a organocatálise assimétrica, técnica criada pelos vencedores do Nobel de Química

O método desenvolvido pelo alemão Benjamin List e pelo britânico David MacMillan permite a obtenção de elementos puros e tem grande aplicabilidade nas indústrias farmacêutica e agroquímica

Entrevista com

Adriano Andricopulo, químico medicinal e professor da Universidade de São Paulo (USP)

Mariana Hallal, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2021 | 13h03

O Nobel de Química de 2021 premiou dois cientistas que desenvolveram a organocatálise assimétrica. A técnica criada pelo alemão Benjamin List e pelo britânico David MacMillan permite a obtenção de elementos puros e tem grande aplicabilidade nas indústrias farmacêutica e agroquímica. Também contribui para tornar a química mais sustentável porque possibilita o uso de produtos baratos e que não são tóxicos.

O químico Adriano Andricopulo, professor da Universidade de São Paulo (USP), diz que a descoberta dos pesquisadores foi uma grande revolução. Ele fala que o uso de organocatalisadores já era conhecido há muitas décadas, mas ganhou mais força neste século. "Isso se deve, principalmente, às contribuições extraordinárias de MacMillan e List", diz. Em entrevista ao Estadão, Andricopulo explica o que são é a organocatálise assimétrica e as aplicações práticas dessa técnica. Leia trechos:

O que são os catalisadores?

Em química, chamamos de catalisadoras as substâncias que têm o papel de aumentar a velocidade de reações e não são consumidas nesse processo. Os catalisadores aceleram as reações para a formação de um produto e tornam possível a preparação de diversas novas moléculas com ampla gama de aplicações como, por exemplo, na indústria farmacêutica e de agroquímicos.

O que é a organocatálise assimétrica?

A organocatálise é o uso de moléculas orgânicas simples, de baixa massa molecular, para a aceleração (catálise) de diversas transformações orgânicas. Quando você usa um organocatalisador em um reagente, pode obter vários compostos como resultado. Com a organocatálise assimétrica, esses compostos serão enantiometricamente puros, ou seja, você catalisa o reagente para formar um único produto. 

De que forma a descoberta dos pesquisadores revolucionou a química?

Foi uma grande revolução em termos de aplicações de moléculas orgânicas (organocatalisadores) na catálise de diversas transformações orgânicas. O seu uso possui diversas vantagens, incluindo a sua estabilidade e facilidade de manuseio, baixa toxicidade. Também possui várias formas de preparação, reduzindo os custos e facilitando a obtenção de uma gama de moléculas de interesse farmacêutico e agroquímico.

Essas pesquisas são recentes? Quando os estudos começaram?

O uso de organocatalisadores é conhecido há várias décadas. No entanto, somente no século XXI o seu uso ganhou mais força. Isso se deve, principalmente, às contribuições extraordinárias de MacMillan e List.

Por que a descoberta tornou a química mais verde?

A organocatálise oferece algumas vantagens em relação a outras metodologias assimétricas. Ela evita o uso de metais e as reações podem ser conduzidas sob condições mais brandas, com amplo acesso a uma variedade de catalisadores a partir de produtos naturais baratos, que são atóxicos e insensíveis à umidade e ao oxigênio.

Qual a aplicação prática da organocatálise assimétrica?

A organocatálise é um campo de rápido crescimento e seu uso industrial tende a expandir. Ela pode fornecer rotas práticas e eficientes para a produção de moléculas de interesse farmacêutico, contribuindo na produção de fármacos e medicamentos. Grandes avanços, como o uso de fotocatalisadores orgânicos, deverão ser feitos nos próximos anos em termos de aplicações na indústria. Não há dúvidas que a organocatálise continuará evoluindo nos próximos anos, trazendo diversas inovações para a catálise assimétrica e aplicações industriais novas.

Alguns exemplos de remédios obtidos por meio da organocatálise assimétrica são o antiviral Oseltamivir (Tamiflu), a Rivastigmina (usada para tratar o Alzheimer), Rolipram (antidepressivo), Perindopril (para tratamento da hipertensão arterial) e Atorvastatina (redutor de colesterol).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.