Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Salvador e Florianópolis vão exigir passaporte da vacina para grandes eventos no fim do ano

Diferentes regiões já começam a retomar a programação de festas diante do avanço da imunização contra a covid-19 no País

Bruno Luiz e Fábio Bispo, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2021 | 18h15

As cidades de Salvador e Florianópolis anunciaram nesta semana que irão exigir a comprovação de vacinação para acesso a grandes eventos do fim do ano, como o réveillon. Diferentes regiões já começam a retomar a programação de festas diante do avanço da imunização contra a covid-19 no País. 

Segundo o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), para ter acesso ao réveillon e ao carnaval de 2022, será necessário apresentar um certificado de vacinação, com a comprovação de que tomou as duas doses ou a dose única do imunizante.

Reis estimou que o martelo sobre a realização das festas deve ser batido no fim deste mês ou em novembro, e que a decisão depende do avanço da vacinação e do impacto da variante delta na capital baiana.

"Vamos exigir, para ter acesso, as duas doses da vacina, pelo menos. A festa do réveillon será em um espaço fechado e, para as pessoas terem acesso, terão que ter as duas doses. E, no carnaval, a gente coloca as barreiras para fazer as revistas e, se for possível ser feito carnaval, iremos exigir também a comprovação da vacinação. Esses eventos terão que ter esses protocolos", explicou o prefeito na manhã desta terça-feira, 5.

Bruno também criticou a decisão do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, de não exigir protocolos sanitários nos eventos, caso eles aconteçam. "O Rio durante a pandemia sempre teve uma permissividade muito maior do que a média geral dos outros Estados e outras capitais", disse.

Já o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), anunciou que a capital catarinense se prepara para relaxar a exigência do uso obrigatório de máscaras. O anúncio ocorre um dia depois de Loureiro confirmar a realização festas de fim de ano, com exigência de passaporte da vacina para grandes eventos, e carnaval.

“Discutimos com a equipe técnica e no nosso entendimento a liberação do uso obrigatório de máscara deve acontecer apenas quando Florianópolis atingir o índice de 80% da população com esquema vacinal completo. É um índice de proteção que os estudos, a literatura médica e outros países estão utilizando para ter a garantia do controle da doença. É claro que vamos ultrapassar os 80% e nossa meta é chegar próximo aos 100%”, disse o prefeito ao Estadão.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, Florianópolis já atingiu 76% da população adulta imunizada. As projeções mostram que nas próximas semanas a cidade deve chegar aos 80% dos adultos completamente vacinados.

Neste mês de outubro, Florianópolis chegou à marca de mil mortos pela covid-19 desde o início da pandemia. A cidade também é a segunda no Estado com maior número de casos ativos proporcionalmente à população, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. São 642 ativos, segundo dados do boletim de 4 de outubro.

O passaporte da vacina, anunciado pelo prefeito Gean Loureiro, será cobrado a partir de 16 de novembro. Serão exigidas as duas doses para adultos e uma dose para menores de 18 anos, pois ainda não terá dado o prazo para a segunda dose deste grupo, informa o município.

A comprovação será feita pelo aplicativo Conecte SUS. Outros eventos e locais, com capacidade menor do que 500 pessoas, que queiram exigir a vacinação irão receber um selo de local seguro da prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.