Santa Casa vai a leilão por dívida em São Pedro

No 1º pregão, realizado nesta sexta, não apareceram interessados em pagar pelo imóvel o valor da avaliação, de R$ 4,4 milhões

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

22 Maio 2015 | 18h00

SOROCABA - A Santa Casa de Misericórdia, único hospital de São Pedro, na região de Piracicaba, interior de São Paulo, está sendo leiloada por dívida. No primeiro leilão, realizado nesta sexta-feira, 22, não apareceram interessados em pagar pelo imóvel o valor da avaliação, de R$ 4,4 milhões. Os lances já foram abertos para um novo pregão, marcado para o dia 12 de junho. Desta vez, o hospital pode ser levado por quase a metade do preço: R$ 2,6 milhões.

O processo começou em 2001, quando uma prestadora de serviços médicos de Piracicaba entrou com ação na Justiça cobrando dívida de R$ 59 mil à época. O valor atual corrigido chega a R$ 500 mil. Como a Santa Casa não pagou o débito, a Justiça determinou a penhora do imóvel. O Hospital Beneficente São Lucas, detentor da Santa Casa, tentou impedir o pregão, mas o recurso foi rejeitado. 

O leilão inclui o prédio em três níveis, com centro cirúrgico, maternidade, enfermarias, consultório, salas de emergência, setor de pediatria, uma capela e até um velório. As construções ocupam terreno de 5 mil m2.

A unidade hospitalar está sob intervenção municipal desde 2005. Se o adquirente decidir fechar a Santa Casa, pacientes terão de ser levados a cidades vizinhas, como Charqueada e Piracicaba. Embora não seja parte no processo, a prefeitura informou que vai adotar medidas judiciais para impedir o leilão, tendo em vista o interesse público. 

A cidade de 31,9 mil habitantes dispõe de uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), mas precisa do hospital, segundo a prefeitura. No ano passado, a Santa Casa fez 1.827 internações e 207 mil atendimentos. O município declarou o hospital de utilidade pública, para evitar possível desativação caso seja arrematado.

Mais conteúdo sobre:
Santa Casa São Pedro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.