DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

São Carlos e Mococa têm mortes suspeitas por dengue

Cidades do interior de São Paulo entraram em estado de emergência por causa da epidemia

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

19 Março 2015 | 18h07

SOROCABA - Mais duas cidades do interior de São Paulo registram as primeiras mortes com suspeita de dengue e entram em estado de emergência em razão da epidemia. Em Mococa, uma aposentada de 73 anos morreu após ter sido internada na Santa Casa com diagnóstico da doença. A prefeitura informou que aguarda o resultado dos exames para a confirmação da causa da morte. A cidade de 68,7 mil habitantes tem 1.929 casos, segundo boletim do último dia 12.

A incidência elevada levou a prefeitura a reconhecer situação de epidemia e decretar emergência. Empresas e estabelecimentos comerciais contabilizam aumento de pelo menos 10% no número de faltas de funcionários acometidos pela doença. A prefeitura intensificou as ações de nebulização nos bairros.

Em São Carlos, um homem de 40 anos morreu quarta-feira, 18, com suspeita de dengue. Morador do Jardim São Carlos, ele apresentou os primeiros sintomas há duas semanas e foi atendido em duas unidades de saúde, mas o quadro se agravou. O óbito ocorreu quando ele estava internado na Santa Casa local. O corpo foi enviado para o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), mas o laudo ainda não ficou pronto. A prefeitura trata o caso como suspeito. A cidade tem 2.136 casos notificados de dengue, sendo 735 positivos.

Protesto. Em Sorocaba, cerca de 30 pessoas interditaram uma das pistas da Avenida Itavuvu, em frente à Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da zona norte, na tarde desta quinta-feira, 19, em protesto contra a demora no atendimento. Pacientes com quadro de dengue estavam na fila havia quase oito horas. De acordo com a Polícia Militar, a pista foi liberada após uma hora de protesto. A prefeitura informou que a demora decorre da alta demanda - a cidade tem 22.675 casos de dengue.

Uma semana após a entrada em vigor da lei que reduziu de 15 dias para 48 horas o prazo para limpeza de terrenos com possíveis criadouros do mosquito da dengue, a prefeitura já multou 394 proprietários. A multa é de R$ 4,87 por m2 em terrenos de até 500 m2 e de R$ 6,96 por metro para áreas maiores. Se o proprietário não cumprir a lei, a prefeitura pode fazer a limpeza e emitir a cobrança.

Mais conteúdo sobre:
dengue São carlos Mococa São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.