Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Estado de São Paulo reclama de redução de verba federal e cobra recursos para 4,3 mil leitos de UTI

Governo paulista diz que só 11% das vagas são financiadas pelo Ministério da Saúde; União não respondeu

João Prata, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2021 | 05h00

A Secretaria Estadual da Saúde enviou ofício ao governo federal nessa terça-feira, 2, cobrando a liberação de recursos para leitos de UTI. Segundo a gestão paulista, está pendente a liberação de verba para 4.351 vagas e o Ministério da Saúde só manteve financiamento para manter 11,4% dos leitos para covid no Estado, que sofre com a alta de infectados. 

“Não tivemos resposta ainda. O ofício é uma reiteração do que constantemente temos informado ao ministério. A falta de resposta significa que Estado e municípios terão de colocar, de um dia para o outro, R$ 210 milhões mensalmente para financiar esses leitos que subitamente o ministério deixa de manter”, disse ao Estadão Eduardo Ribeiro, secretário executivo da pasta da Saúde.

O total de leitos UTI covid implementados no Estado é de 5.263 - hoje 4.915 estão ativos. Desses, segundo o Estado, só 564 estão sendo financiados pelo ministério. O custo diário de uma UTI covid é de R$ 1,6 mil. No Sistema Único de Saúde, o governo federal tem atuado na habilitação e financiamento dos leitos de UTI. Ribeiro diz que a cada mês o governo estadual precisou elevar o investimento na manutenção dos leitos, pois o ministério reduzia repasses. “Houve diminuição de cerca de 30% nas habilitações nos últimos seis meses”, disse Ribeiro. Procurado pela reportagem nesta terça-feira, o ministério não respondeu até a noite de terça. 

A pressão por mais verba ocorre em um momento que Estados e municípios buscam aumentar leitos para evitar o que aconteceu no Amazonas há 20 dias, quando a rede de saúde entrou em colapso e pacientes morreram asfixiados por falta de oxigênio hospitalar. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 67,3% na Grande São Paulo e 68,1% no Estado. O total de internados é de 12.987, sendo 7.027 em enfermaria e 5.960 em UTI, conforme balanço desta terça-feira à tarde.

No último dia 22, o governo de São Paulo anunciou a ativação de 756 leitos em hospitais estaduais. Serão abertos 306 leitos de UTI covid e outros 450 de enfermaria até o fim do mês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.