São Paulo ganhará primeiro hospital público em 6 anos

Convênio com o Albert Einstein prevê 260 leitos de internação e abertura de centro médico da Vila Santa Catarina neste ano

Fabiana Cambricoli, O Estado de S. Paulo

25 Junho 2014 | 20h37

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo assinou nesta quarta-feira, 25, convênio com o Hospital Albert Einstein para reabertura do antigo Hospital Santa Marina, na Vila Santa Catarina, zona sul. A unidade deverá ser aberta até o fim do ano e oferecerá 260 leitos de internação, graças também à verba federal. 

Após pressão de líderes comunitários, o prefeito Fernando Haddad decidiu comprar o centro médico, fechado há quatro anos e negociado com a Amil, que pagou R$ 55 milhões pela área em um pregão judicial feito para quitar dívidas trabalhistas. A unidade será a primeira pública da capital em seis anos. A última inauguração havia sido a do Hospital Municipal do M’Boi Mirim, também na zona sul, em 2008.

A previsão de custos é de R$ 134 milhões por ano, dos quais R$ 18 milhões serão provenientes do pagamento dos procedimentos realizados mediante tabela do Sistema Único de Saúde. Mais R$ 116 milhões virão do Hospital Albert Einstein, com recursos do Proadi-SUS, pactuado entre a instituição e o Ministério da Saúde. O projeto de expansão da ação do Einstein até 2017 prevê aportes da ordem de R$ 1,2 bilhão.

Estado. Ainda nesta quarta, o governador Geraldo Alckmin assinou parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento para garantir investimento de R$ 836 milhões na saúde do Estado em oito anos. Serão beneficiadas 153 obras de reforma ou construção de unidades de saúde nas regiões de Bauru, Campinas, Vale do Ribeira, Vale do Paraíba e Sorocaba. O destaque é para a construção de dois novos hospitais gerais, um em Registro e outro em Caraguatatuba. 

Mais conteúdo sobre:
hospitalSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.