São Paulo inicia vacinação contra sarampo na segunda

Entre os dias 26 de março e 4 de abril, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo promove uma campanha de atualização da vacina tríplice viral, também conhecida como SCR, para combater o sarampo, a caxumba e a rubéola. A semana tem o objetivo de alertar os pais de crianças de 1 a 6 anos que estejam com a carteira de vacinação atrasada. Na dúvida, é bom levar os filhos até o posto de saúde onde eles geralmente são atendidos, pois há registro das vacinas no local. O Ministério da Saúde recomenda a todos os Estados que mantenham índices de cobertura da vacina em 95% das crianças. São Paulo está acima das expectativas: 97% das crianças nessa faixa etária estão em dia com a prevenção, mas isso não impediu a iniciativa do governo. Segundo Helena Sato, coordenadora de imunização da secretaria, embora a média estadual esteja satisfatória, 36% dos municípios estão com a cobertura abaixo dos 95%, o que corresponde a cerca de 30 mil crianças no Estado. "Detectamos que a cobertura não é homogênea e por isso decidimos reforçar a campanha", afirma. Para isso, um milhão de panfletos serão distribuídos em escolas infantis, para professores e alunos. Na Região Metropolitana, 19 dos 29 municípios estão defasados em relação à média. Itapecerica da Serra é a cidade com menor cobertura: 73,9% das crianças estão com a carteira de vacinação atualizada. Os índices nos demais municípios variam de 81% a 93%. Durante a campanha, o governo espera imunizar cerca de 130 mil crianças nos 3.500 postos em todo o Estado, já abastecidos com 400 mil doses da vacina. Mas Helena faz um pedido para as mães e pais. "Essa semana não é para vacinar todo mundo de novo. É uma atualização", explica. Todos os postos de saúde continuam oferecendo doses da vacina durante o ano. Os esforços de prevenção já dão bons resultados. No Estado de São Paulo, não há casos registrados de sarampo desde o ano 2000. No caso da rubéola, o número de ocorrências caiu de 2.500 casos em 2000 para menos de 60 em 2006. Como a caxumba não é uma doença de notificação compulsória, a Secretaria de Saúde não tem dados sobre o número de ocorrências. Os sintomas de sarampo são febre, manchas avermelhadas pelo corpo, tosse, coriza ou conjuntivite. Crianças com caxumba apresentam febre e aumento das glândulas salivares, e a rubéola é caracterizada por febre, manchas pelo corpo e aumento de gânglios. Para saber se a carteira de vacinação está atualizada, basta fazer as contas: crianças de 1 a 3 anos devem ter uma dose da vacina tríplice viral. Já os filhos com idade entre 4 e 6 anos precisam ter duas doses marcadas na carteira. Na Grande São Paulo, o telefone com informações sobre a localização dos postos de saúde é o 150.

Agencia Estado,

21 de março de 2007 | 10h19

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.