REUTERS/Pascal Rossignol
REUTERS/Pascal Rossignol

São Paulo reduz de oito semanas para 21 dias o intervalo entre doses da Pfizer contra a covid

Medida vale para adultos acima dos 18 anos e deve beneficiar cerca de 2 milhões de pessoas no Estado

João Ker, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2021 | 17h47
Atualizado 18 de outubro de 2021 | 18h06

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta segunda-feira, 18, que o Estado vai reduzir de oito semanas para 21 dias o intervalo entre as duas do imunizante da Pfizer contra o coronavírus. A medida vale começa a valer a partir da próxima terça-feira, 19, e contempla apenas a população acima dos 18 anos que, segundo ele, envolve cerca de 2 milhões de pessoas em São Paulo. 

"Distribuímos integralmente a todas as cidades as doses necessárias para concluir a imunização do público adulto e, por isso, pactuamos com o Cosems (Conselho dos Secretários Municipais de Saúde) esta redução no prazo para 21 dias", afirma Regiane de Paula, coordenadora geral do Plano Estadual de Imunização (PNE). 

O novo intervalo também passa a valer para quem já ultrapassou a marca dos 21 dias necessários desde a primeira dose. Em comunicado, a Secretaria de Estado da Saúde e a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) afirmam que a população sobre será avisada através do disparo de mensagens de texto pelo celular (SMS) e por e-mail.  

Em julho, o Ministério da Saúde já havia anunciado a redução no intervalo para 21 dias e, no mês seguinte, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária enviou um ofício ao laboratório da Pfizer pedindo informações adicionais sobre uma possível terceira dose do imunizante, a ser aplicada na mesma janela de tempo. Na época, a medida foi defendida também pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), que alegou não ter sido formalmente avisado da mudança pela pasta.

Até o momento, essa é a única vacina autorizada pela Anvisa a ser aplicada no público de 12 a 17 anos. Ainda no mês passado, o governo do Estado havia reduzido de 12 para oito semanas o intervalo entre as duas doses da Pfizer, que continua valendo para os adolescentes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.