Rungroj Yongrit/EFE
Rungroj Yongrit/EFE

'Se distribuição não for equitativa, vacina não vai acabar com vírus', diz OMS

Organização Mundial da Saúde vai lançar repositóriode tecnologias para vacinas, medicamentos, diagnósticos e ferramentas que auxiliem na luta contra a covid-19

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2020 | 13h40

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta sexta-feira, 15, que se não houver uma distribuição equitativa de remédios e vacinas contra o novo coronavírus, a pandemia não vai acabar - até o momento, não há vacina, mas ela está em em fase de desenvolvimento em vários países, e também não há medicamento com eficácia comprovada. A declaração veio no dia em que a entidade afirmou que irá lançar uma plataforma mundial para compartilhamento aberto de tecnologias e ferramentas para combater o vírus. 

"O acesso ao acelerador da covid-19 (ferramenta criada pela OMS) está unindo esforços para garantir que tenhamos vacinas e remédios seguros, eficazes e acessíveis no menor tempo possível", afirmou. "Essas ferramentas oferecem esperança adicional de superar a covid-19, mas não acabarão com a pandemia se não pudermos garantir acesso equitativo a elas".

Tedros afirmou que é preciso oferecer inovações que beneficiem a todos os cidadãos, independente de onde estejam. "A solidariedade entre países e o setor privado é essencial para superarmos esses tempos difíceis. Agora é o momento em que os líderes devem se unir para desenvolver uma nova política de acesso global e uma ferramenta operacional que transformarão em realidade as boas intenções expressas nas últimas semanas". 

Em sua mensagem, reafirmou que não há paradoxo entre investir em saúde ou economia. "Financiar uma saúde de qualidade para todos não apenas salva vidas, significa que as crianças estão saudáveis ​​e podem ir à escola, que as pessoas podem trabalhar e as sociedades e as economias estão mais fortes". 

O diretor-geral da entidade citou a sugestão do presidente da Costa Rica, Carlos Alvarado, para criar um repositório de tecnologias para vacinas, medicamentos, diagnósticos e ferramentas que auxiliem na luta contra a covid-19. A plataforma para compartilhamento aberto e colaborativo de conhecimento, dados e propriedade intelectual será lançada nas próximas semanas.

Mensagem clara e coesão

Quando questionada sobre o Brasil, a OMS afirmou ainda que os países precisam transmitir uma mensagem coerente e coesa em diferentes níveis de governo para obter uma boa resposta contra a pandemia. O diretor do programa de emergências da OMS, Michael Ryan, disse que essa deve ser a regra, principalmente em países com muitos Estados e organizados no sistema federativo.

"As comunidades precisam de mensagens consistentes das lideranças. Precisam ser claras e os governos precisam dar o exemplo", disse. Ryan afirmou que todos os países enfrentaram dificuldades como essa, não só o Brasil. "É difícil manter a coesão e a confiança da sociedade", disse, enfatizando que a resposta dos governos deve seguir a ciência. 

Para Entender

O que é e para que serve a Organização Mundial da Saúde (OMS)

OMS cria os padrões mais importantes da área da saúde; caráter mais importante é técnico-científico

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.