Secretaria multa donos de empresas que mantêm focos de dengue

Até agora, 11 estabelecimentos foram multados em Palmas (TO), como ferros-velhos e depósitos

Agência Brasil,

23 de fevereiro de 2012 | 09h47

 Desde o início do ano, a Secretaria da Saúde de Palmas (TO) tem multado donos de empresas que mantêm criadouros do mosquito Aedes aegypti em suas propriedades. Até o momento, 11 estabelecimentos foram multados, como ferros-velhos e depósitos de material reciclável e sucata.

A multa varia de R$ 300 a R$ 40 mil. Segundo o diretor municipal de Vigilância em Saúde, Cláudio Garcia, a medida tem surtido efeito educativo e de conscientização nos moradores. Das 109 empresas notificadas, 15 acabaram com os focos em 48 horas e deixaram de ser punidas.

“Muitos correram e resolveram o problema. O intuito não é arrecadar dinheiro, é diminuir o risco de dengue”, explicou o diretor.

A fiscalização será ampliada para as casas dos moradores. As multas passaram a ser aplicadas após a entrada em vigor do Código Sanitário do município, que atribui responsabilidade ao cidadão.

Um balanço nacional da dengue revelou que Palmas é a capital com a maior taxa de incidência da doença -  743,7 casos por 100 mil habitantes. A média nacional é 21,2 casos por grupo de 100 mil pessoas. De 1º de janeiro a 11 de fevereiro, foram registrados 1.403 casos no município, ante 312 no mesmo período de 2011, segundo dados do Ministério da Saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.