Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Júlio Nascimento/PR
Júlio Nascimento/PR

Secretário executivo da Saúde ataca Doria e diz que anúncio de governador sobre vacina é 'devaneio'

Elcio Franco afirma que o tucano brinca com 'a esperança de milhares de brasileiros' ao prometer a imunizar da população contra a covid-19 em janeiro

Jussara Soares, Patrik Camporez e Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2020 | 20h26

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde divulgou na tarde deste domingo, 13, um vídeo em que o secretário-executivo da pasta, coronel Elcio Franco, faz críticas ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e diz que o tucano brinca com “a esperança de milhares de brasileiros” ao prometer a vacinação da população contra a covid-19. Na gravação de quase oito minutos, o militar fala que o anúncio de Doria é um “devaneio”.

“Senhor João Doria, não brinque com a esperança de milhares de brasileiros. Não venda sonhos que não possa cumprir, prometendo uma imunização com um produto que sequer possui registro nem autorização para uso emergencial”, diz o coronel.

O vídeo foi publicado na página oficial do Ministério da Saúde e compartilhado na rede social do militar, sendo distribuído em grupos de WhatsApp. A pasta confirmou ao Estadão que a gravação foi feita pela assessoria de comunicação do órgão.

O governo de São Paulo anunciou o plano de vacinação da Coronavac na última segunda-feira, 7, o que gerou críticas imediatas por parte do governo federal, já que o imunizante, produzido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantã, ainda está na terceira fase de teste e sua eficácia precisa ser comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O calendário prevê o início da vacinação  para  o dia 25 de janeiro de 2021. O primeiro grupo a receber a vacina contra o coronavírus, segundo o plano do governo paulista, englobará profissionais de saúde, indígenas e quilombolas de todo o Estado.

Em outro momento da gravação, Franco diz que o plano de imunização apresentado por Doria é um devaneio. "O que foi apresentado na TV no dia de hoje é apenas mais um devaneio do governador de São Paulo, que está sonhando acordado. Não será com discursos de ódio ou tendenciosos que serão encontradas soluções”, disse.

“O Brasil não será dividido. Sob a liderança do presidente Jair Bolsonaro, somos uma só nação, forte, determinada e pronta para vencer o inimigo comum: o vírus”, disse.

O secretário-executivo inicia a gravação dizendo que “existe uma grande diferença nas informações divulgadas sobre autorização emergencial e registro definitivo para uma vacinação em massa”. “O assunto não pode ser polarizado para discursos com promoções pessoais ou fins políticos, atropelando ritos científicos importantes que dão segurança para você e sua família.”

O militar disse que “seria irresponsável darmos datas específicas para o início da vacinação, porque depende de registro em agência reguladora”.  Segundo ele,  a segurança completa  só poderá ser garantida “quando finalizados os estudos clínicos da fase 3. “ Franco disse ainda que, “segundo a Anvisa nenhum dos laboratórios sequer iniciou o processo de autorização para uso emergencial em caráter experimental”.

“Como estabelecer o calendário de vacinação sem saber se a vacina estará liberada para uso, com a certeza de sua segurança e eficácia? Cabe ao Ministério da Saúde ser o coordenador do plano nacional de imunização. Pensando na saúde dos brasileiros, o governo federal não anunciará nada de forma irresponsável”, disse Franco.

STF. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Saúde às 15h35, cerca de cinquenta minutos antes de o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinar que o governo apresente esclarecimentos sobre o prazo de início e fim da vacinação. Lewandowski deu 48 horas para a pasta enviar as informações à Corte.

Segundo o secretário, a vacinação será uma ação integrada, liderada pelo poder executivo federal, envolvendo ministérios da Saúde, Economia, Defesa, Justiça, Infraestrutura,  além dos governos estaduais e municipais e a iniciativa privada.

Franco afirma que o Ministério da Saúde, junto com Estados e municípios, já possui logística de distribuição, operacionalizada e administrada em 38 mil postos de vacinação. “O presidente Bolsonaro não mede esforços e vem se dedicando exaustivamente aos trabalhos para garantir o acesso a uma vacina segura e eficaz”, disse Franco.

O Ministério da Saúde, por meio da assessoria da Comunicação, informou que o vídeo feito pelo secretário foi um esclarecimento, mas não confirmou a data da gravação. Inicialmente, a informação é que o vídeo teria sido gravado no dia 10, quinta-feira.  Entretanto, quando questionada sobre o porquê de a gravação não ter sido feita pelo ministro Eduardo Pazuello, a resposta é que ele estava em Goiânia. A agenda ao lado do ministro ocorreu na sexta-feira, dia 11.

Procurado, o governador João Doria disse que se manifestará na entrevista coletiva desta segunda-feira, 14.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.